segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Poooodres de famosas...

Já leram a coluna do Joaquim Ferreira dos Santos hoje no Globo?


Ilha de Caras, aí vamos nós...

Alegria de domingo

Sambinha e cerveja em Santa Teresa.
Muito auspicioso começar a semana assim.

domingo, 30 de agosto de 2009

Chope dos leitores, 3 de setembro

Então queridos, lá vamos nós de novo. Quinta-feira que vem é dia do sensacional Chope dos leitores da Roberta. Tô avisando com uma semana de antecedência pra todo mundo se programar e vir com desculpinha esfarrapada que não sabia ou já tinha outro compromisso. Desta vez não vai ter gripe que me segure e o negócio não é só de beber e falar bobagem não: é de sambar também. Quero nem saber se o pato é macho, quero é mais ovo!

Se no último o Boteco do Gomes ficou pequeno pra gente, desta vez vamos invadir o Bar da Ladeira. Reservei (de novo) a varandinha dos fundos do 1º andar pra gente. Aquela mesma onde já comemoramos o aniversário do blog, naquele que deu em pão na chapa depois de todo mundo ver minha calcinha xadrez com pompons. Pra esta edição comprei uma com cerejinhas. Tu vai perder essa?

E, mais ainda, durante a celebração farei uma revelação bombástica que atinge diretamente meus leitores. Quem viver verá! Quer mais um motivo pra ir? Viajo na semana seguinte e passarei quase o mês inteiro fora. Estarei em Buenos Aires na primeira quinta-feira de outubro.

Vejo vocês quinta que vem no Bar da Ladeira.

Chope dos leitores do OMEE e HTP
Quinta-feira, 3 de setembro, a partir das 20h, no Bar da Ladeira
Silviço
Bar da Ladeira
Rua Evaristo da Veiga, 149 (subida pelos Arcos da Lapa na Rua Riachuelo)
Lapa - Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Tel. (21) 2224-9828
http://bardaladeira.blogspot.com
Abertura da casa: 20h; Início do show: 22h
Couvert: R$ 10 a noite toda; na lista amiga, R$ 8 (nomes neste tópico ou no meu e-mail)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

De unha e de cola...

Quinta passada a unha do meu indicador direito quebrou no toco. Colei com super bonder e fui pra manicure. Antes que alguém pentelhe, faço isso desde os 14 anos e ainda não morri. É só pingar um tiquinho de cola no lugar onde a unha quebrou, esperar secar, dar uma lixada pra igualar a altura e pintar por cima. Fica ótemo. Claro que cola o dedo junto, mas tem problema não, sai no banho.

Pois é, fica tão bom que esqueci. Ontem fui tirar o esmalte e nem lembrei. Como a unha já tinha crescido, tinha que ter dado uma cortada, lixado e colado de novo, até a parte quebrada crescer o suficiente pra ser cortada. Mal cheguei na festa e abriu um lascadão na unha, tive que cortar no dente, coisa que não sou apta a fazer devido ao aparelho ortodôntico. Uma merda. Agora tô com a unha no toco.

Nada é por acaso

Acabei de lembrar que estou no auge da TPM e não tomei meu complexo anti-maluquice esse mês.

Possuída

O mau humor se apossa do meu ser...

E o pior...

É que tem é gente chata no mundo, né?

A vida é bela

Está um lindo dia de sol, quase não dormi e ao ver minha fatura do cartão de crédito descobri que quebrei. Quero nem saber, quero é ser feliz.

Tô ótima hoje, mas tô boa não, sabe como é? Pois é, melhor não encher meu saco.

Contando os meses...

Aliás, no dia 8 de agosto, quando entro de férias, completo um ano e um mês nesta pocilga. Vou ver quanto falta pra eu poder me aposentar e vou começar a contar os meses, tipo "faltam apenas 200 meses, talvez eu consiga me mandar antes de tocar fogo na minha seção ou matar alguém!".

A Repartição

Podia ser nome de reality show, né? Podiam filmar a gente. Ia ser mó entretenimento.

Contando os dias....

Só faltam hoje, amanhã e a semana que vem para minhas férias. Emendo com o feriado de 7 de setembro e só volto no dia 8 de outubro. Vai ser muito auspicioso ficar 33 dias longe da repartição. Mais do que auspicioso, diria que será saudável. Estou muito cansada e de saco muito cheio. Tipo, é melhor eu entrar de férias logo antes que surte e dê uma porrada na cara de alguém, jogue um copo de café da cara de alguém...

Viciada

Ah, essa mania de chegar bebada e blogar....
Que maravilha... que auspicioso...

E quer saber do que mais?

Vai se foder, porra. Vai tomar no cu, porra, caralho.
Tô boa não...

O negócio é o seguinte

Acabei de chegar de uma festa fodaça, da qual só saí porque tenho que trabalhar daqui a pouquíssimas horas. Tô bêbada, comendo queijo quente semi-queimado e coca cola sem gás. Me poupem, por favor. Tô boa não, hein?

Tô boa não

Não enche o saco, falou?

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Arrumando sarna pra me coçar

Acabei de me inscrever num curso de francês com aulas às sextas, das 8h30 da madrugada às 10h30.

Acho que eu vou

Baile Curinga no Odisséia hoje.

Caminhando por entre luzes no Centro do Rio à noite

Vai ter outra edição na quinta, mesmo lugar, mesmo horário.

Lástima

Hoje quando cheguei do trabalho passei no boteco e comprei um garrafa de 2l de Coca Zero. Agora, quando cheguei do passei noturno, abri pra tomar um copo da minha coquinha da saúde. Eca! Sem gás! Uma garrafa novinha e sem gás!

Nada auspicioso. Vou dormir.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Eu vou!

Caminhando por entre luzes no Centro do Rio à noite

Dia 25 de agosto, terça-feira, às 20h - término 21h30
Grátis e a pé
Encontro: escadaria da Casa França-Brasil
Itinerário: luminoso Centro Cultural Banco do Brasil – Alfândega/Casa França-Brasil do Rio joanino – Igreja Nossa Senhora da Candelária, fonte de luz e de fé – o iluminamento do Centro Cultural dos Correios – Rua Primeiro de Março – o foco de luz distante e permanente do antigo senado e da Catedral de Benedito e da Senhora do Rosário – o diálogo do Rio colonial com a cidade maravilhosa - Centro Cultural da Justiça Eleitoral - Rua do Ouvidor, logradouro inicial da iluminação a gás e da energia elétrica no espaço coletivo carioca, de Machado de Assis e Chiquinha Gonzaga, bem como dos primeiros acordes do carnaval carioca, das lutas pelo abolicionismo e a república e das confeitarias e lojas elegantes – o brilho das estrelas Cármen e Aurora Miranda no sobrado da Travessa do Comércio – o iluminamento da antiga Catedral da Sé/Igreja do Carmo – de volta à claridade do Convento dos Carmelitas – Paço Imperial e da luminar Isabel de Bourbon e Bragança – os refletores da Alerj – o brilho e o requinte dos antigos Ministérios da Fazenda, do Mec e a Austeridade do Ministério do Trabalho – Luzia dos santos e geográficos olhares (de Fernão de Magalhães aos aterros que a afastaram do mar) – Teatro do Sesi e as novas torres da Esplanada do Castelo - o universo de extrema luminosidade da Cinelândia e seus majestosos prédios – a iluminância do jovem Theatro Municipal e da Biblioteca Nacional, o boêmio Amarelinho, a Câmara dos Deputados, o Centro Cultural da Justiça Federal – Metrô, uma sentinela luminosa a nos conduzir por lunares e ensolaradas geografias.

Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello
Bolsistas: Ruan do Carmo, Ivo Venerotti, Melissa Anjos e Olga Maíra Figueiredo
Inscrições: roteirosgeorio@uol.com.br
Informações: (21) 8871-7238
Projeto de Extensão do Departamento de Geografia Humana
Oferecido à comunidade em geral. Se chover na terça-feira, dia 25, o roteiro será adiado para outro dia seguinte. Na dúvida, favor telefonar.
UERJ – UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Enquanto isso...

Tem espetáculo fresquinho no HTP. É que hoje foi dia de revolta das oferendas devolvidas. Depois conto a outra.

domingo, 23 de agosto de 2009

Chata

Ando tão sem vontade de blogar. Penso em muitos posts, mas fico com preguiça de escrever. Na verdade, os melhores são os que jamais serão publicados. Ando meio chata, meio desanimada.

sábado, 22 de agosto de 2009

Relatório resumido

Ou melhores momentos do fim de semana passado

Gente, já chegou outro fim de semana e nem contei o anterior ainda. Vou dar um resumo resumido e conforme for lembrando de momentos interessantes eu conto, como fiz com a história do baile funk que já é antiga.

Sexta, como contei, fui ao Eu amo baile funk com companheira Madame N. Foi uma noite praticamente perfeita e descobri que ela é uma parceira de pista das melhores. Adora uma bagaceira, bebe em pé no botequim e até gosta de bater papo com os travecos da Gomes Freire. Essa é das minhas. Firmamos uma parceria muito auspiciosa para abalar a noite carioca.


Sábado fui à praia com Madame J. A gente tinha combinado ir pro Leme, que é mais perto e não encontramos ninguém, mas naquele sol lindo... o fogo no rabo falou mais alto e tocamos pra Ipanema. Fomos desfilar nossas belezas e encher os cornos de caipirinhas. A praia tava quase perfeita, só faltava a água estar quente. Mademoiselle Lolita fez uma aparição rápida, porque tava de bicicleta. Vamos respeitar a moça pedalar de Santa Teresa ao Posto 9. Tostamos até o sol sumir, almoçamos, lambemos vitrines e viemos pra casa.

Depois de uma dormidinha de beleza, partimos pra pista. Madame J. passou aqui em casa e rumamos pro Bukowski. Humpf. Lerdamos muito nos maquiando e chegamos lá 1h30. Péssimo horário, fila enorme. Lá pelas 2h da manhã avisaram que só tava entrando quando alguém saía e como ainda tinha gente pra caralho na nossa frente... vazamos. Na dúvida, acabamos na Matriz. Tava meio vazio, todo mundo devia estar no show do Friendly Fires, mas o som tava ótimo. Até que dançamos bastante até umas 4h, quando vazei rumo à Lapa.

Vocês acreditam que tava tudo fechado às 4h30? Que decepção! A pizzaria de portas cerradas, no Antonio's já tavam varrendo o chão. Ah, mas tem o Capela! Humpf. Só nos serviram uma porção de bolinhos de bacalhau e dois chopes, depois trouxeram a conta. Que decepção! Mas foi uma noite auspiciosa, fui dormir bebinha e alegrinha da vida com o dia clareando lá pras 7h da manhã.

De qualquer jeito, fiquei meio decepcionada porque queria mesmo era ter ido pro Buko, mas tem nada não, amanhã me vingo. :P


Domingo de sol. Tinha marcado de ir visitar minha mãe, cheguei a me arrumar, mas ela me telefonou tanto que me enchi e fui pra praia. Cheguei lá já tarde, fui encontrar Mademoiselle Lolita no Coqueirão. Agradável tarde de sol, lagarteando em nossas cadeiras alugadas, falando da vida e olhando o mar. Almoçamos na Farme e voltamos pra casa morrendo de soninho no ônibus. A merda de ir à praia em Ipanema é sacodir no ônibus por uma hora no trajeto da volta. Nem saí à noite, chapei cedinho.

Foi um fim de semana feliz.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Por onde anda a blogueira?

É, meus queridos, dei uma sumidinha, mas ao contrário do que foi ventilado nos comentários, não me joguei pra SP. Aliás, ainda bem que minha viagem mixou... com essa chuva ia ser uó. Na verdade, estou em casa. Sim, pasmem, Roberta Carvalho em casa em plena sexta-feira. Não vou sair, vou dormir e descansar a pele. Essa semana foi foda, tô muito cansada. Trabalhei e saí muito, sou obrigada a dispensar muitos programas porque não tenho saúde pra sair todos os dias. Fora os problemas e aborrecimentos inevitáveis.

Ontem foi aniversário de A Noiva. A comemoração foi no Cabaré das Rosas, na Praça Mauá. Muito bonito o lugar, bem interessante. A Noiva estava linda, temática, ela foi de macaquinho preto, meia arrastão e scarpin preto de bolinhas brancas. Ah, e com uma liga na perna direita. Linda! Madame N e Madame J, embora (ainda) não fossem amigas da aniversariante, foram ter comigo. Comemos, bebemos, rimos dos filmes pornôs mudos exibidos e assistimos a uns shows bizarros. Como disse meu Amigo Retratista, só a Val pra fazer a gente ver show de uma bicha de pé inchado, metida num vestido de lycra roxa, numa quinta chuvosa. Nós amamos nossa Noiva e vamos a qualquer lugar que ela queira! A Noiva manda!

Quando a festa acabou, meu Amigo Retratista nos chamou pra uma outra festa de aniversário de um jornalista amigo dele. Partiu, oras. Compramos cerveja pra levar e fomos. Era pertinho de casa, o táxi nem ia dar prejuízo se estivesse ruim. Que nada, quando cheguei lá descobri que o aniversariante era meu amigo de infância: estudamos juntos na 5a e 6a séries! Muito constrangedor estar no mesmo ambiente que alguém que me viu de cabelão comprido até quase a cintura, saia azul marinho de pregas, camisa branca de tergal, tênis bamba preto e meias 3/4 brancas (estudei sempre em escola pública). Tudo bem que eu tinha 10 anos na 5a série, mas ainda assim é uma visão do inferno.

A festa tava ótima, quase que só tinha homem! Quando chegamos, sacaneamos meu amigo "e aí, hein? Chegou na festa com três mulheres e um saco de cerveja, tá se sentindo levando a carne pro churrasco, hein?". Bebemos, fumamos, rimos e dançamos moito até às 4h da manhã. Arreguei porque tinha reunião no trabalho hoje às 10h da madrugada, mas o pessoal ainda esticou na Vila Mimosa. Madame N. tá rouca de beber e tagarelar ao relento até às 7h da manhã.

Ai, como é bom estar viva. Aliás, como é bom estar viva na cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro!

A incursão ao baile funk

Foi um domingo divertido. Tava um dia lindo que merecia ser celebrado na praia. Não arrumei companhia e fui sozinha. Detalhe: comi duas fatias de pão de forma com uma fatia de queijo e meia xícara de café e parti pra desfilar minha beleza morena e minhas celulites na praia de Ipanema. Tomei três caipirinhas e uma cerveja. Chegaram Madame J. e depois Nara já no fim da tarde. Fomos pro Devassa "almoçar". Comemos uma porção de croquete de carne e uma de linguiça na cachaça e bebemos váááárias loiras, isso foi o meu almoço.

Quando estou sóbria, evito comer carne, sou wannabe vegetariana. Quando tô bebada mando descer o torresminho. Aliás, quando tô bêbada faço várias coisas que não devia, algumas não publicáveis. Fumo, como carne, como doce, fritura e ainda acho gostoso... já que viver sóbria é ficção, acho que nunca vou conseguir ser realmente vegetariana. Mas voltando ao relato.

Cheguei em casa bebinha e com sono, pensei "vou dormir como um bebê". Toca o telefone, era Mademoiselle Lolita "Amiga, tá rolando um sambinha aqui em Santa...". Vou não, amiga, vou dormir. Mal desligo, toca de novo. Achei que era ela outra vez. Era um amigo que não via há algum tempo. "Meu primo me ligou que tá rolando um sambinha no Curvelo, vamos?". Concluí que dois amigos ligarem quase ao mesmo tempo pra chamar pro mesmo lugar era um sinal dos deuses, muito auspicioso.

- Acabei de chegar da praia, ainda nem tirei o biquini, mas passa aqui em 20 minutos.
- 20 minutos só se eu for de moto, tu tem medo de moto...
- Tinha, tenho mais não, pode vir.

Subi Santa de moto com o amigo, que confessou estar bebendo desde o meio-dia. Encontramos Mademoiselle Lolita no sambinha no Curvelo. Mais muitas cervejas. Meu amigo me obrigou a tomar um caldinho de feijão, foi meu jantar. Tudo ótimo, mas a doida Mademoiselle Lolita tinha comprado ingresso pro Cine Santa. Quando ela foi embora, resolvemos ver qual era a de um evento cubano no Largo dos Guimarães. Bailamos sei lá o que era aquilo que tocava e depois fomos pro sambinha do Simplesmente. Depois de um tempinho ardeu e meu amigo fez a proposta irrecusável "Aê, hoje tem baile funk no Emoções, na Rocinha. Bora?". Partiu.

O baile só começava 1h da manhã, demos um rolé de moto e depois paramos numa birosca pra tomar cerveja e observar o sobe e desce daquele mar de motos. Bebemos mais umas e depois descemos pro Emoções. E tome cerveja. Tenho flashes de estar dançando enlouquecida, não lembro muito bem. Não ficamos até o final porque eu tinha que apertar o aparelho na segunda de manhã.

Acordei às 6h da manhã, ainda bêbada, pra vomitar. Tinha dormido pelada por cima da colcha que forra a cama. Na verdade, lembro vagamente de quase cair quando desci da moto na minha porta. Vomitei, tomei banho e parti pro dentista sem tomar café. Enjoadaça, com aquele calor e aquela tremedeira/taquicardia de ressaca foda. Eu não sentia isso há muito tempo, foi muito bom. Passei o dia estragada, mas de ótimo humor. Foi um domingo excelente.

Quando cheguei do trabalho à noite minha casa tava uma mixórdia. O biquini do dia anterior ainda jogado no chão, a roupa da praia, a que saí à noite. Tive que chutar roupa pra andar sem pisar em nada. Arrumei tudo, mas não passei aspirador. O chão ficou cheio de areia uns três dias.

Ai, ai, ai. Como é bom viver.
Quero mais bailes funks, quero tudo.

E por falar em jovem senhora funkeira...

Dia desses toca meu celular. "Número confidencial". Ódio, mas a curiosidade é maior e atendo. "Alô?"

- É aí que tem uma dançarina de funk? - reconheço a voz, mas fico na minha.
Pândego.
- É sim, por quê? Quer contratar?
- Quero sim, quanto custa?
- Depende de quem contrata e do serviço...
- Pensei numa performance privê...
- Palhaço...

Gargalhadas. Era meu amigo que me levou no baile funk do Emoções da Rocinha. "Pô, aquele dia você tava possuída, hein? Nunca tinha te imaginado dançando daquele jeito". Perguntei por que o espanto e o bruto disparou "Ah, você é jornalista...". Tolinho.

A dura vida de jovem senhora funkeira

Sexta-feira passada fui no Eu amo baile funk na Fundição e segunda-feira no Clube das Mulheres. Nâo tenho idade nem saúde pra dois dias de chão, chão, chão quase seguidos assim. Passei a semana toda com dor nas coxas. Agora dói apenas a parte da frente da coxa direita.

Pendências

Preciso me atracar com o "armário de papel" daqui de casa. Na verdade, é onde guardo documentos, textos, contas e todo papel que pode servir um dia. Tá foda. Precisei encontrar um documento meu naquela mixórdia e foi uma operação de guerra, mas não tive condições físicas e psicológicas de arrumar: assim que logrei êxito enfiei tudo de volta mais bagunçado que antes. Confesso: tenho medo do armário de papel

Ai, ai, ai... é dura a vida de mulher trabalhadora que não tem tempo pra nada...

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Facinha

Minha viagem pra SP no fim de semana mixou. Aceito convites.

Premiado!

Meu chefe encontrou uma mosca no café expresso na hora do almoço.
Já achei cabelo na sopa e mosquito na salada, mas mosca no café é campeã!

Alegrias de domingo

Apta!

Voltei a mastigar, até comi uma barrinha de cereais!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Incursão ao Clube das Mulheres


Aí, quem não foi perdeu. Pretendo ir toda semana...

Lôra

Pintei meu cabelo e ficou claro demais. Imagina depois que a cor abrir....

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Pré mau humor

Tô meio esquisita hoje. Sei lá, sabe?

Partiu?

Encontro das leitoras e Gangue de mulheres loucas no Clube das Mulheres hoje, vamos?
Vejo vocês lá.

Dor

Hoje apertei o aparelho. A ortodontista torturadora colocou borrachão nas duas arcadas. Tá doendo, vou passar a semana só na sopa.

Quarta-feira tenho sessão de laser, sairei de virilha e axilas tostadas.

Será uma semana estranha. Preciso de alegrias.

sábado, 15 de agosto de 2009

Mas quem disse que eu te esqueço...

Tristeza rolou nos meus olhos do jeito que eu não queria
E manchou meu coração, que tamanha covardia
Afivelaram meu peito pra eu deixar de te amar
Acinzentaram minh'alma, mas não cegaram o olhar
Saudade amor, que saudade
Que me vira pelo avesso, e revira meu avesso
Puseram uma faca no meu peito
Mas quem disse que eu te esqueço
Mas quem disse que eu mereço

E quer melhor auspício para uma noite de sábado?

Do que ser o Dia dos Solteiros?
Partiu pro Bukowski o bonde das mulheres loucas!

E por falar em bons auspícios (eu não disse auspicioso)

Ontem foi uma noite maravilhosa e quase perfeita. Dancei até o chão de 0h30 até depois de 5h da manhã. Meu pé ainda tá doendo e meus dedos estão dormentes (eu tava de periguete, com minha sandália mais alta). Voltei pra casa monobrinco, exausta e bêbada (vim de táxi do circo até aqui, cerca de 4 quadras). Rolou até espetáculo circense, mas isso depois eu conto.

Hoje passei o dia na praia com minha amiga J.K. Estou linda, bronzeada e alegre, apesar do cansaço. Fui dormir às 6h, com o dia clareando. Às 10h acordei com o SMS "praia?". Claaaaro! Nada que duas horinhas de sono e um Redbull não resolvam. Já, já tô na pista pra negócio de novo.

A pedidos

Não usarei mais a expressão "auspicioso", mas que ontem quando eu tava chegando no Circo Voador com minha amiga funkeira Madame Natália ouvimos umas moças dizerem "nossa isso aqui tá muito auspicioso", ouvi.

Funkeira

Acabo de chegar do Eu amo baile funk no Circo Voador. Muito auspicioso, digamos assim. Virarei habitué.

Bons auspícios astrais...

ABERTURA SOCIAL

Vênus na casa 3
De 15/08, 19h11 até 12/09, 10h51

O período que vai de 15/08 (Hoje) e 12/09 tende a ser particularmente especial para as suas relações sociais, Roberta, pois Vênus estará passando pela sua terceira casa astral. Você perceberá que as outras pessoas estarão mais interessadas em sua companhia, e que sua disposição afetiva para com os outros estará aumentada. Os outros estarão em busca de seus conselhos, e conversas agradáveis podem ser uma marca para este período. Por conseqüência, esta é uma fase ótima para ter "aquela conversa" que você sente que precisa ter com alguém com quem falta aparar algumas arestas, pois o entendimento entre as partes é mais favorecido por Vênus, sobretudo se tais entendimentos envolverem figuras tais quais irmãos, primos, vizinhos ou colegas de trabalho. Aproveite o momento para resolver questões difíceis, pois elas poderão ser estudadas lentamente, com todo o cuidado necessário e consequentemente com sucesso, quando Vênus atravessa a terceira casa astral.

Pequenos passeios agradáveis são outra possibilidade marcante para o período de Vênus na terceira casa. Iniciar estudos e cursos neste período pode ser uma boa idéia, mas são mais favorecidos os estudos que sejam breves, cursos rápidos, pois Vênus não é um astro particularmente afeito a esforços.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

A vida é bela

Aliás, nem sei o que houve, mas ando realmente muito bonita, mais bonita que o normal. Meu cabelo anda ótimo e jeitoso, apesar de estar precisando ser pintado, minha pele está viçosa, meu sorriso radiante, meus olhos brilhantes, nem sei mais o que, sei que tô linda. Deve ser minha alegria de viver. ;)

Dia dos solteiros!

Foi amiga Graci quem espalhou a notícia auspiciosa: sábado é dia dos solteiros!

Muito auspicioso, linda do jeito que estou, abrilhantarei qualquer festa de solteiros que eu resolva ir.

Muito auspicioso

Este fim de semana tem tudo para ser melhor do que o anterior. Nossos planos são muito auspiciosos. Hoje, sexta, chego do trabalho direto pra manicure. Com as patinhas esmaltadadas, venho pra casa depilar as pernas e hidratar as madeixas. Ainda dá tempo de uma descansadinha antes de partir pro Circo Voador. É dia de Eu amo baile funk e já formei a dupla de funkeiras com Madame Natália. Chão, chão, chão!

Sábado vamos à praia dourar as celulites à tarde. Depois do soninho de beleza, seremos obrigadas a escolher entre várias opções de festas. Tem um aniversário na Casa da Matriz, outro no Espaço Marun e outro ainda na Cravo. Gisele convocou pro Clandestino e ainda é dia de Coordenadas Cariocas. Mas confesso, pretendo é cair no bom e velho Buko, depois de encher os cornos no novo Botequim Bukowski. Muito auspicioso.

Para domingo, ainda aceito convites. Gueto Blaster me convidou para almoçar, as meninas querem ir à praia, um catiço me convidou para jantar, mas ainda não me decidi.

Já é quase fim de semana...

E nem dei o relatório do último. O último fim de semana foi estranho e movimentado. Depois do retiro convalescente de quarta e quinta-feira, tive uma sexta e um sábado deveras agitados e produtivos. Fui a três festas, à praia, almocei com amigas, visitei minha mãe, fiz compras e ainda terminei o projeto do meu novo curso e redigi mais inéditas pro livro do HTP. O circo não para!

Às vezes meus amigos perguntam como consigo fazer tanta coisa. Sei lá, mas não sei ser diferente. Quando eu morrer, descanso.


Sexta fui visitar um oráculo com a gangue de mulheres loucas do centro e adjacências. Depois fomos a um shopping center próximo jantar e comprar vestidinhos novos. Na ida pra casa, passamos num aniversário no Mofo Up. Mó bagaça, só escória naquele buraco, mas tudo bem, somos lindas e brilhamos em qualquer lugar. Depois de uma passada em casa pra um banhinho de beleza e saúde, partimos pra Curinga no Multifoco. Não foi tão boa quanto a anterior, mas foi legal. Lá sempre tem tanta gente amiga que parece festinha em casa. Novas experiências, digamos assim. Voltei pra casa doidaça, trocando as pernas. Foi divertido.

Sábado fomos para a praia, tostar as celulites ao sol e recarregar nossas energias. Muito auspicioso! No almoço, Graciana que tinha ido para outra praia veio ter conosco. Momento o mundo é estranho, um garotinho chegou e pedi pra tirar foto da tatuagem da coxa dela. Depois da praia, soninho de beleza para a festa da noite. Depois de um esquenta na Lapa, partimos pra Alcova dos leoninos, no Espaço Hombu. Do jeito que eu tava linda e exuberante, merecia uma festa melhor, mas tudo bem. Eu esperava mais da festa, mas deu pra me divertir. Terminei a noite pagando mico e calcinha em um pula-pula com Eugenia e Juliana. De lá, fui saciar a larica na pizzaria e depois dormir o soninho das lindas e justas na minha caminha dura, sob meu edredon vermelho.

Ah, fui reconhecida por duas leitoras na festa! É chato ser famosa. :P

Domingo, excursão suburbana. Fomos Graci e Juliana juntas visitar nossas família. Almocei e passei a tarde com mamãe e voltei pra casa no início da noite. Graci até me chamou pra um sambinha, mas eu tava a fim de ficar em casa sozinha. Foi bom.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Novamente adimplente

Fiz esse post em novembro de 2007, mas sou obrigada a repetir:

Tô com o carnê do baú da felicidade em dia como há muito não ficava. Não vou mulher de andar por aí com carnê vencido. Sabe como é, pode faltar qualquer coisa na vida, só não pode deixar de pagar a prestação em dia. Olha, tem até prestação adiantada. Aliás, acho até que vou comprar outro, afinal, vai que sou sorteada, né?

Se liga

Faço vários posts por dia, não adianta visitar o blog uma vez só, que ver várias vezes.

Ah, e não esqueçam de ler os comentários, são tão divertidos quanto os posts. Sem falar que volta e meia rola uma continuação.

Claro, e comentem!

O clã de mulheres loucas do Centro

A vida anda uma delícia agora que montamos uma gangue de mulheres loucas e vizinhas. Tá tão bom, agora tenho companhia pra jantar, pra beber, pra ir à praia, pra tudo. Em duas ligações a gangue está montada. Morar no Centro é uma delícia. Somos todas solteiras, independentes, bem resolvidas ou nem tanto, mas alegres da vida e semi-loucas moradoras da Lapa, Centro, Bairro de Fátima, Santa Teresa e adjacências. Somos mulheres que não devem satisfação a ninguém, fazemos o que queremos e moramos onde gostamos. A vida é bela.

Adivinha de onde acabei de chegar?

Do bar, é claro. Mas nem enchi a cara, só jantei com minha amiga J.K. no Bar do Peixe. Sardinhas fritas e uma cervejinha gelada, pra fazer feliz. Essa semana não segurei a onda, comi que nem uma filha da puta, mas e daí, né?

Depois vim pra casa, fazer faxininha e blogar.

O Swap

Eu nem contei pra vocês do Swap, né? Aliás, você sabe o que é um Swap, né? Aquelas festas de trocas entre mulheres. Cada uma leva as roupas boas que não usa mais ou nunca usou (qual mulher nunca comprou um vestido e depois deixou encostado no armário?) e trocamos as peças.

Há várias modalidades, em alguns, há uma lista por sorteio e na sua vez cada uma escolhe uma pela. Noutras, como nesta que fui, já que éramos apenas cinco mulheres as peças eram mostradas e quem se interessava levantava a mão. Daí negociávamos. Ao mesmo tempo que demora mais e é mais confuso, é um excelente exercício de generosidade. A gente ia experimentando e quando via que tinha vestido mais na amiga dizia sem o menor peso no coração "leva você, ficou melhor!". Juro, foi lindo ver uma calça que eu não usava tão bem no corpo da amiga.

Confesso: arrematei uma sacola de sandálias plataforma. Agora sou uma mulher em cima de saltos.

Vivendo perigosamente

Hoje fui trabalhar com um sandalhão de dois andares, vulgo plataforma, que arrematei em um Swap. Foi um exercício me manter em pé em cima daquele troço, afinal, como vocês sabem, trabalho fora do perímetro urbano, em um lugar não adaptado à ocupação humana, sem calçamento adequado, sórdido, indigno e desagradável. Virei o pé três vezes, mas sobrevivi.

A primeira, foi logo que desci da passarela, pois ou olhava para o chão, ou para a frente. Ou caía em um buraco no piso ou trombava em alguém. Tropecei em um buraco, mas segui altiva. Outra virada de pé na subida da ladeira, mas perseverei. Quase na hora de ir embora, já tava me achando poderosa no sandalhão quando fui fazer aquele último xixi antes de ir embora e virei o pé na saída do banheiro. Claudio, o segurança, viu. "Que isso, acidente de trabalho no fim do expediente não!". Podeixá que não vou atrapalhar o ritmo da repartição!

Pior foi na hora do almoço, távamos eu, chefinho e chefinha. Corajosa, topei ir pela trilha. "Se eu cair seguro em você, vamos os dois barranco abaixo", avisei chefinho, outrora moço educado, achando que ele ia na minha frente, pra não me deixar despencar. Que nada. "Vou atrás de você, pra te ver cair". Caí nada, rapaz! Sobrevivi!

Sobre café e cigarros

Meu chefinho comentou, não lembro se no blog, no twitter ou no facebook, que está há quase seis anos sem fumar, mas sonha que está fumando e quase sente dor quando vê um maço de Marlborão. Confesso que salivo quando vejo um maço de Marlborão, quando sinto o cheiro então, quase a baba escorre.

Nunca fui uma fumante contumaz, mas gosto de dar minhas tragadinhas. Sempre tentei fumar com parcimônia. O negócio é que depois do aparelho ortodôntico, resolvi parar, com medo de marcar muito os dentes. Fumo vez ou outra, mas trato de nem tragar, pra não lembrar como é bom. Em São Paulo, incitada por menino Juliano, fumei desbragadamente. Ai, que delícia. Sempre sou feliz em São Paulo.

Ai, ai, ai. Assim que parar de tossir vou comprar um maço de Marlboro.

E o café? Pois é, é o vício que me restou. Dizem que meu café é o melhor da repartição e eu já tinah virado a cafetina oficial, mas chefinho quis fazer graça e mando um vídeo dizendo que tava pensando em comprar essa cafeteira. Já que quer me trocar por um robozinho japa que se vire, estou de greve. Ele mesmo tem confeccionado nosso precioso líquido negro.

O blog do meu chefinho

Ele não autorizou, mas eu divulgo.

http://rodrigoferrari.com/

Lindezas

Prosa em poema

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Mas enquanto não chega o chope...

Que tal uma encontro das leitoras no Clube das Mulheres? Partiu segunda-feira que vem, dia 17, às 18h30? É a noite do Funk x Tequila, na qual ELES descem do palco!

Próximo chope dos leitores

Já está marcado. Dia 3 de setembro de 2009, quinta-feira, a partir das 20h, no Bar da Ladeira. Reservei a varanda do primeiro andar.

Vãs promessas....

Amanhã pretendo não beber.

Confesso que bebi

Sim, amigos, sou obrigada a admitir: tenho bebido todos os dias esta semana.

Terça-feira

Acordei com a cara inchada e tristebunda com a chuva. Tinha consulta em Copacabana no cu da manhã. Por que mesmo que não dormi na casa de O Orientador? Ah, tá. Por causa dos exames. Foi uma boa consulta. A Márcia é minha ginecologista há milênios (mais de 20 anos), sabe da minha vida toda e me entende. Ela me medica para tudo, cura todos os meus males, inclusive os da alma. Saí de lá com receitinhas alegríssimas, você nem imagina a festa que eu fiz na Droga Raia. A vida é bela.

***

Do trabalho, parti para a Cobal do Humaitá. Fui beber com os meninos da Engenharia Química. Comemorávamos 20 anos que nos conhecemos. Sim, foi em agosto de 1989 que comecei minha primeira graduação. Lembro que coloquei o 2o semestre como 1a opção porque era só de manhã. O primeiro era tarde/noite. Humpf. No segundo período eu já tinha aulas de manhã, à tarde e à noite. Foi divertido reencontrar os meninos. É engraçado como eles são bofes. E mais engraçado ainda como me tratam como menino "Fala demonha, vamos encher a cara". Relembramos histórias, porres, festas, pegações. Rimos de como éramos felizes com tão pouco aos 18 anos: bastava alguns reais pra encher a cara no boteco em frente à Uerj ou nas festas por lá mesmo.

Claro, logo o HTP virou tema da conversa. Eles têm certo estranhamento do meu jeito de mulher independente. Ah, os bofes... mas são bons meninos. Eles adoram aprender com as histórias circenses e dizem não acreditar em certos comportamentos dos palhaços. Aham. E eu sou uma empada.

Mas o encontro foi esclarecedor. Tratei logo de defender minha teoria de que homem não gosta de sexo, quem gosta de sexo é mulher. Homem faz sexo por imposição social. Eles me explicaram que não é que não gostem, apenas têm medo de fazer. Agora entendi tudo!

Prometeram ir ao Chope dos Leitores, quem viver verá.

***

Fui pro encontro com meu chefe, porque ele tinha médico no Humaitá. Como ele também bebe, até cogitou ir ter conosco depois. Quando, fazendo careta, disse onde os meninos tinham marcado ele não se conteve. "Putz, não negam que são engenheiros! Aquele lugar é um lixo". Sim, sou obrigada a admitir, eles escolheram o pior bar de todos. Chefinho, que é nerd redimido, foi beber em outra freguesia.

Segunda-feira

Retornei ao trabalho depois da licença. Ainda tava tossindo, mas fazer o que?

À tarde foi a defesa de monografia do Kazuza e minha primeira banca. Fiz a chata, mas só um pouquinho. Ele tirou 9,5. Adorei participar de banca. Adorei ler a monografia dele, como o tema era do meu interesse e os autores meus amiguinhos, foi uma delícia. Fiquei muito orgulhosa de como ele fez o recorte teórico, trabalhou os conceitos. Só não tirou 10 porque esqueceu da Conclusão(!). Depois da banca, no meio daquela ventania, parti para a "Sul" com O Orientador. Fomos jantar pizza e chopes. Alimentadinhos e colocadinhos, fomos pra casa ver Caminho das Índias bebendo vinho. Lá pelo meio da novela começamos a lavar uma roupinha suja e desandei a chorar. Coisa de bêbada. Chorei horrores, falei de cada coisa que já tava pra lá de enterrada. Um horror. Fui pra casa chorando no táxi de madrugada. Tudo bem, a vida é bela.

A vida é bela, mas às vezes é dura

Eu bem que tento ficar em casa, mas é difícil ser uma blogstar reclusa. Gueto e Vic me convocaram pro Maraca. Arreguei porque tava com dor de cabeça. A Noiva me chamou pra um happy hour com prosecco. Ela já esqueceu que há uma semana fizemos um pacto de NUNCA mais tomar essa bebida do capeta (tenho que contar essa noite pra vocês, até brigar com taxista a gente se deu ao desfrute). Eu não esqueci, mas promessas só servem pra ser quebradas. Só que eu ainda tava com dor de cabeça.

Cheguei em casa, comi, tomei um banho quente e resolvi ir à academia, ser humilhada pelos professores em mais um retorno. No caminho comecei a me sentir tonta. Voltei pra casa. Tava lá, deitadita, pensando que, se melhorasse, blogaria quando toca o celular. Adivinha? A mudança de tempo revolveu o mar e Yemanjá cuspiu umas oferendas de volta, talvez aquelas que não foram jogadas com espelhinhos suficientes. Fui eu tomar cerveja com uma oferenda devolvida. Foi bom pra eu lembrar bem porque ele tinha sido enviado para Janaína. Ai-ai-ai. O tempo passa e a gente esquece das coisas, né? Se a Rainha do Mar não quis, por que que eu fui aceitar a devolução? A oferenda que ficasse na praia!

Anotar na agenda: se um dia taquei no mar, não é pra pegar de volta.

Dilemas de blogstar

Queria ir a academia hoje, tô ensaiando meu retorno há semanas. Depois pretendia passar no supermercado e dar um jeito no cafofo, que tá uma bagunça infernal. Só que hoje tem Fla x Flu no Maraca...

Até o Personare manda eu me recolher

Sol na casa 4, lua na casa 12
De 12/08 até 13/08, 16h20

No período que vai de 12/08 (hoje) a 13/08, procure se recolher um pouco mais, Roberta, pois a Lua, justamente na Casa 12, aumenta o potencial de introspecção do Sol, que transita pela Casa 4. A fase é excelente para retiros, meditações, mergulhos de alma. Que tal ficar sem ver ninguém por estes dias? Aproveite para fazer um trabalho de auto-análise, ler, ver filmes, a Lua na Casa 12 favorece muito as idas ao cinema, de preferência só, exercitando assim a sua capacidade de preservar sua individualidade.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Que merda

Dói mas passa, ainda bem que sou vivida o suficiente pra saber disso.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Polêmica

Estou uma dona de circo meio chatinha e meio tristinha. Tá, é segunda de manhã, mas tô. Ainda tô tossindo, me sinto cansada e um pouco desanimada.

Supostamente, o chope dos leitores teria sido transferido para esta quinta. Confesso: tô com preguiça. Na semana que vem estarei viajando na quinta. Na seguinte já é a última quinta do mês, muito perto do chope de setembro. Acho que este chope foi realmente cancelado e vai ficar pra primeira quinta de setembro mesmo, mas que também vai ser esvaziado, pois vai ser perto do feriado de 7 de setembro. Em outubro estarei viajando na primeira quinta do mês. É amigos, acho que não tem mais chope não. Acho que só no aniversário do blog, em novembro. Isso se eu não estiver viajando.

Mau humor

Segunda-feira, né?

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Nada como um dia depois do outro

Com uma noite bem dormida no meio.

Ontem fiquei de molho em casa, tossindo e maldizendo a tosse e a tristeza. Havia dormido mais de 12 horas de quarta para quinta e não conseguia pegar no sono. Não conseguia escrever, mas também não dormia. Tomei um rivotril de 1mg pra tentar me livrar dos pensamentos que me açodavam. Como dizem por aí, pensar enlouquece e já sou louca o suficiente. Quem me dera ser alienada. Não chapei de pronto, mas adormeci. Acordei hoje de manhã com o telefone. Era um pretendente querendo saber se melhorei. A coisa boa de ficar doente é o carinho dos pretês. Esse aí me liga de manhã e de noite e pergunta se preciso de alguma coisa, se quero que ele me leve no médico, que traga comida ou remédio. Claro, sou a Dona do Circo, sei que ele faz isso porque já foi exonerado e tá querendo ver se descola um frila. Palhaços, tão previsíveis e tão imprescindíveis. Esse moço tem lá seus talentos e sua serventia, mas no momento não estou com a menor vontade de vê-lo.

Bom, não sei se foi o repouso forçado, se foi o antibiótico e as vitaminas, sei que passou a dor de cabeça e do corpo. Continuo tossindo como uma filha da puta e comecei a espirrar, mas no geral, me sinto melhor. Acordei agitadíssima, um azougue de produtividade. Já redigi palhaçadas inéditas pro livro, estou escrevendo o projeto de um curso que quero dar na Uerj (pensando bem, vou ministrar não, vou é dar mesmo) e ainda tô cheia de planos pro blog. Me aguardem, quem viver verá!

Tô um azougue hoje

(a.zou.gue)

sm.
1 Fig. Indivíduo muito esperto e agitado
2 Pop. O mesmo que mercúrio (2)
3 Pop. Cachaça, aguardente de cana
4 Bot. O mesmo que mercurial2

[F.: Do ár. az-zawq, 'mercúrio'. Hom./Par.: azougue (sm.), azougue (fl. de azougar).]

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

As loucas do banheiro



Vocês já tinham me imaginado de óculos e coroa? Pois é, tava bêbada.

PS. Agora adoro publicar fotos!

Novas experiências

Fui convidada para fazer parte de uma banca de defesa de monografia na segunda-feira. Será a minha primeira participação em banca. O texto está aqui ao meu lado, estou ansiosa para ler. Bazar Meninas e Mulheres: o backstage da cidadania cultural na Mangueira. A-do-ro.

Merda

A cada crise de tosse eu lembro do Flávio, meu novo amigo paulistano, dizendo que tosse é tristeza. Que merda.

Lástima

Muito triste ter sido obrigada a cancelar o Chope. Tá uma linda noite de lua cheia, quentinha e alegre. Vocês sabem que não teria feito isso se não estivesse realmente na merda. Tô tossindo que nem uma filha da puta, com de cabeça e no corpo. Puta que pariu!

Tem nada não, a gente se vinga já, já.

Da série "Alegrias de domingo"

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Chope adiado

Queridos, estou dodói, muito gripada e tossindo. Se continuar na pista não fico boa nunca. Resolvi adiar o chope. Quando estiver melhor aviso e remarco.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Chope dos leitores do mês de agosto

Então queridos, lá vamos nós de novo. Como o tempo passa rápido, hein? Já tem um mês desde o último chope, um dos melhores até hoje. Desta vez o negócio não é só de beber e falar bobagem não, é de sambar também. No último o Boteco do Gomes ficou pequeno pra gente, daí resolvi partir pro Bar da Ladeira.

Reservei a varandinha dos fundos do primeiro andar pra gente. Sim, é a mesma onde já comemoramos o aniversário do blog em 2007, naquele dia que deu em rodízio de pão na chapa depois de todo mundo ver minha calcinha de pompom. Já comprei uma calcinha nova pra ocasião. Tu vai perder essa? Vejo vocês lá.


Silviço:

Chope dos leitores do OMEE e HTP
Quinta-feira, 6 de agosto, a partir das 20h, no Bar da Ladeira

Bar da Ladeira
Rua Evaristo da Veiga, 149 (subida pelos Arcos da Lapa na Rua Riachuelo)
Lapa - Rio de Janeiro, RJ
Tel 2224-9828
http://www.bardaladeira.blogspot.com/

Show com o grupo Sou Raiz
Abertura da casa: 20h; Início do show: 22h
Couvert: R$ 10 a noite toda

Supostamente, há uma lista amiga. Não sei bem qual a vantagem, mas quem pretende ir deve deixar o nome neste tópico. Acho que é negócio de se não tiver gente suficiente não me reservam a varandinha, sei lá. Deixa o nome aê e vê se aparece.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Começou

Hoje foi dia de ortodontista. Não acho auspicioso começar a segunda-feira indo apertar o aparelho, mas fazer o que? Até tava indo bem, mas agora, depois do almoço... tá doendo pra caralho. E olha que almocei sopa.

Depois de um fim de semana de tosse, febre e excessos...

Esta é uma belíssima segunda-feira. Estou com fome, menstruada, cansada e com os dentes doendo. Minha casa tá uma mixórdia desgraçada e quero nem saber, não vou arrumar porra nenhuma. O chão tá cheio de areia e tem roupa e sapato espalhados por tudo quanto é canto, fazendo montinhos. Tem papel e jornal amontoado na mesa e na cômoda, fora a louça suja na pia. Recebi meu pagamento com aumento hoje e descobri que é muito menos do que eu esperava.

Quer saber? Tô alegre, alegre da vida e caguei pra tudo.

sábado, 1 de agosto de 2009

Mimada

Tenho sido tão mimada por meus amigos. Esta semana ganhei um lindo marcador de livros em formato de gatinho da Stella. Hoje a Eugenia me deu um capacho de gato também. Até minha vizinha lelé elogiou e perguntou onde comprei. "Foi presente de uma amiga". :)

Estou ótema

O fogo no rabo foi mais forte que a febre. Tava já resignada a ficar em casa embaixo dos cobertores, mas meu celular não parava de apitar mensagens. O mulherio me chamando pra tudo quanto era lugar. Eu queria mesmo era ir pro Bukowski, tinha festa do Dia do Orgasmo, mas como estou convalescente, evitei.

Na verdade, apenas dei uma descidinha pra desfilar minha beleza morena na noite da Lapa. Adoro andar sem rumo pelos bares, fazer o circuito todo, encontrar as pessoas. Um chama pro Democráticos, outro pro Circo. Sempre aparece programa. "O Bernardo vai botar som na Plano B". Parti! Graciana ficou dividida, com medo de se contaminar, mas capitulou. Como estou me poupando, apenas abrilhantei rapidamente o evento, dei uma pinta, mas quando Graci foi pro Democráticos, vim para casa. Na verdade, um desperdício, pois estou especialmente linda hoje, mas fazer o que? Paciência.

Ai, ai, ai. Acho que era falta de cachaça mesmo minha enfermidade. Tomei uma caipirinha ótima: desentupi e parei de tossir. Agora vou dormir meu soninho de beleza que amanhã quero encher a cara na Feirinha da Lavradio.

Me poupem

Gripe suína de cu é rola. Ainda que eu estivesse com o H1N1, não ia morrer. Muito cafona, datado, morrer de gripe em pleno 2009. Saco todo mundo perguntando, dando chilique que eu tô com "gripe suína", coisa mais chata. Não, não estou. É só uma gripinha. Graciana me mandou ficar em casa pra não contaminar ninguém. Francamente. E deixar a Lapa triste sem a minha beleza morena? De jeito nenhum.