sábado, 31 de dezembro de 2011

Queremos 2012

Porque 2011 já ardeu. Como sempre, vou inventar um motivo para achar que vai ser melhor: é ano bissexto!
Tudo vai ser melhor, mais gostoso, mais fácil e mais bonito. A vida vai ser ainda mais bela e eu mais feliz.

Feliz ano novo para todos nós.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Mas que caralho!

A britadeira pára e eu abro a janela. Ela recomeça e eu fecho a janela. Cansei de morar num canteiro de obras.

Eu odeio a CEG

Acabei de pagar novamente a conta de gás de agosto (!) que a CEG diz que não paguei. Bem, só agora eles perceberam.

Pago todas as contas no caixa eletrônico do (maldito) BB e não imprimo comprovantes porque não sou poluidora. Para meu controle, quando chego em casa escrevo a lápis, no pé da conta, "pago" e guardo em uma pasta. Confiava, sabe? Se necessário, os comprovantes tão lá no site. Humpf. No site tem os comprovantes com os códigos de barra e data de pagamento, mas a CEG diz que a conta que paguei no dia do vencimento da de agosto foi outra. Bom, cansei de fuçar online comprovantes. Como o valor era ridículo, resolvi doar os R$ 23,99 pra desgraçada da CEG e não me aborrecer mais. Claro, incluí a empresa na minha lista de ódios eternos, aquela encabeçada pelo Banco do Brasil, seguido do IBBCA.

Traz coca!

Namorado sacaneia que meu outro nome é "Traz Coca!", o texto do SMS que envio sempre que ele tá vindo pra cá. Oras, se tá vindo da rua que custa trazer uma coquinha, né? :-P

Adicta

A Coca Zero acabou ontem no fim da tarde e decidi não ir comprar. Na verdade, fui adiando, daí choveu e resolvi resistir. Grande bobagem. Não mudou nada na minha vida, a não ser ficar menos feliz. Tô quase babando e tremendo com a síndrome de abstinência. Vou descer agora pra comprar meu precioso líquido negro cantando Meu vício/É você!/Meu cigarro/É você!/Eu te bebo, eu te fumo/Meu erro maior/Eu aceito, eu assumo/Por mais que eu não queira/Eu só quero você...

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Maluca 2.0

Ao longo de 2011 fui freakando até que virei eremita. Agora que percebi que tô maluca quero sair de casa, mas não suporto as pessoas dizendo que sumi e perguntando por que sumi. Daí não saio de casa pra não ter que responder estas perguntas.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Disse e repito

Como diria minha mãe, vou à vida que a morte é certa. Como postei neste mesmo dia em 2009, "vou sair para beber e celebrar a vida, como meu pai me ensinou".

Saudade

Ai, que dor lancinante filha da puta, que saudade doída. De quem? De mim!!!

Sugestão de leitura

2010

2009

2008

2007

Nostalgia

Como não tem nada pra fazer no trabalho, tava aqui me divertindo lendo posts antigos. Me dediquei ao mesmo período nos anos anteriores. Ai, como eu adoro ser quem eu sou, do jeito que sou. Eu amo Roberta Carvalho. Adoro meu mau humor.

Reciclei

Ontem dei um chilique que taquei o celular na parede. Depois pisei nos pedaços que restaram.

Personare avisa

Sol na casa 8, lua na casa 8
Neste período, que vai de 23/12 (hoje) a 25/12, a passagem da Lua e Sol conjugados pelo setor das crises pessoais pode significar um transbordamento de emoções e problemas que você tem tentado evitar nos últimos dias, Roberta. A Lua Nova neste momento pede que você não faça de conta que não existem coisas que lhe incomodam e que dê atenção a estes pontos. Mas procure fazer isso com objetividade, pois pode haver uma tendência a não enxergar as coisas com clareza, mas ficar tão simplesmente "ruminando" sobre elas. Afinal de contas, ficar apenas falando sobre o que lhe incomoda, ou se ressentindo, pouco ou nada muda. Este é um momento para você procurar tomar atitudes práticas, caso contrário o período não será bem aproveitado, e daqui a um ano as coisas que você evitou transbordarão novamente!

....

O que para você é lixo, pode ter imensa utilidade para outra pessoa! É tempo de reciclar, Roberta!

Reflexão para o período: do que eu preciso me libertar?

Será um feliz aniversário!

Hoje O Orientador completa 50 aninhos de pura travessura. Vamos comemorar num pagode em um quiosque da orla de Copacabana, tomando caipirinhas e tomando banho de mar bêbados. A vida é bela.
Hoje faz 27 anos que meu pai morreu.

A vida é bela

Especialmente em sextas ensolaradas.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Hoje não foi um bom dia

Sabe aqueles dias em que TUDO dá errado? Pois é, foi hoje. Mas já é quarta-feira, vou dormir pra ver se acordo num dia melhor.

Sempre tem um lado bom

Depois do meu chilique descontrol mantinal, se quebrasse a casa toda ia ter que arrumar depois. Fora o preju de comprar tudo novo. Então lancei mão de outra técnica pra me acalmar: arrumação. Sou freak de arrumação/organização, daí arrumei a casa toda, bem devagar, bem minuciosa. O saldo positivo foi a casa arrumadíssima. Só não passei pano no chão porque tb era demais.

Mas falando sério, passada a tempestade, fui para o trabalho pensando no que havia acontecido (com certa vergonha do chilique, felizmente, sem testemunhas). Concluí que não mereço viver assim e preciso mudar minha vida. O foda é que quanto mais de saco cheio de tudo, menos vontade de fazer qualquer coisa, daí menor a chance de conseguir mudar qualquer coisa. Mas depois do chilique de hoje não tem jeito, preciso fazer algo. Daí resolvi focar nisso, em mudar minha vida profissional.

Sabe que depois desta constatação/decisão fiquei levinha, levinha? Passei o dia até bem, animada e otimista.

Diagnóstico

Dia desses contei por telefone pra Vicente Magno minha vibe atual, ele respondeu "ai que vontade de te dar uma moca!". Mas quando eu disse "o pior de tudo é que não falo mais, não sei mais contar tudo, não consigo mais blogar, ele se preocupou. "Caralho, gostei disso não. Freakou".

Desejo

Tudo que eu queria era blogar como se não houvesse amanhã, despejar tudo aqui e ir dormir leve, como fazia antigamente. Eu não consigo mais blogar, não consigo mais falar. Tô calada, entalada, oprimida. O mundo é estranho e nem eu tô me reconhecendo.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Confissão do dia

Tive um chilique matinal de sono por não poder dormir. Joguei tudo no chão e pisei em cima. Joguei objetos na parede, gritei, puxei os cabelos, me arranhei, chorei e maldisse a humanidade.

Eu odeio todo mundo, mas odeio especialmente os que estão acordados, os que acordam cedo. Morram todos os desgraçados que acordam cedo, inclusive eu.

Eu odeio o meu trabalho

Mentira, gosto do que faço, mas odeio com todas as forças o lugar onde faço. Eu odeio o lugar onde eu trabalho por vários motivos, mas o principal é ele me obrigar a acordar cedo. É impossível ser feliz acordando cedo.

Decisão decidida: preciso arrumar um jeito de mudar de emprego. Aquele lugar desgraçado suga a minha felicidade.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

sábado, 3 de dezembro de 2011

Confissão

Fiz aulas de tricô quando tinha uns 19 anos. Foi um horror.

O mundo é estranho

Ando pensando em aprender a fazer tricô.

Quero ter um hobby, alguma distração que não envolva ler nem escrever. Atualmente, que eu faço pra relaxar? Blogo, dispendo horas no facebook, leio, tagarelo via e-mail. Ler e escrever já é o meu trabalho, quero algo diferente.

Primeiro pensei em pintura em porcelana. Tá, era deboche. Daí considerei seriamente em jardinagem, mas não tenho um jardim. Daí me sugeriram bonsai. Fiquei pensativa, sei lá, sempre achei alguma coisa esquisita no bonsai, algo que me causava desconforto e eu não sabia o que era. Outro dia, comentando minhas aspirações jardinistas com amigos, me mandaram a real "bonsai é um horror, é opressor, a árvore não nasceu pra ser daquele tamanho". Puta merda, era isso que me incomodava e eu não tinha conseguido entender. Como não nasci para opressora, arquivei o bonsai. Nisso, um outro amigo, conhecido por seus talentos de tricoteiro, me seduziu com seu relato das delícias de se ausentar do mundo confeccionando gorros e cachecóis. "Não dá nem pra atender o telefone, quanto mais usar computador". Bingo, é disso que eu preciso.

Dedicado, meu amigo já me enviou vários sites, tutoriais e dicas para iniciantes no tricô. Agora só falta eu tomar coragem, comprar o material e começar.

Como dizem por aí...

...O mundo é estranho.