sábado, 21 de março de 2009

Descompensada

Ando lelé de várias formas. Minha memória melhorou e voltei a tomar Nootron, mas ando meio biruta de uma maneira que ainda não sei lidar. Andei paranóide uns dias, achava que tavam gravando minhas conversas e monitorando meu computador. Não precisa perguntar porquê alguém faria isso, claro que não há motivo, felizmente, sei disso. E não era uma certeza, era apenas uma impressão que já passou. Liguei pra um amigo que já passou por isso e ele me disse pra eu procurar perceber o que era o gatilho, em quais situações eu tinha esta sensação. Bingo, identifiquei a origem e entendi tudo. Que bom que tenho todo tipo de amigo, portador de tudo quanto é tipo de mania, assim sempre tenho alguém pra consultar. Passou e nem fiquei mais achando que tava ficando realmente maluca. Mas também há dias que fico agressiva por merda pouca e quase perco a compostura. Também fico emocionada e choro com coisas idiotas, mas ao mesmo tempo, não sinto a menor empatia pelo sofrimento alheio. Tudo isso é só às vezes, não o tempo todo.

Mas sabe que não fico muito preocupada? Primeiro, porque não é errado ser assim e ninguém paga meu macarrão. Se eu ficar biruta o problema é meu e caguei pra quem não gostar. Aliás, quem não gostar pode enfiar o dedo no próprio cu e rasgar. Segundo porque estou passando por vários problemas pessoais. Minha mãe bateu pino e foi pra luz, fora minha mudança de emprego, com o qual ainda não acostumei totalmente. Nas últimas semanas subi mais uns dois degraus na escada da birutice, porque estou em TPM e com um descontrole hormonal. Minha menstruação está atrasada (juro que não tô grávida), mas andava adiantando. Nos últimos dois ciclos fiquei menstruada 10 dias com um fluxo que era uma hemorragia. Tá, já fui à ginecologista e estamos tratando, mas isso também ajuda a perder o controle.

Talvez eu esteja bebendo demais também, apesar de andar semi-eremita e preferir minha própria companhia. Não, mentira, gosto de sentar no bar pra beber com meus amigos, mas gostado muito de ficar sozinha em casa. De virar eremita de vez não tenho medo, tenho tantos amigos que seria impossível. Vivo adiando encontros e chopes, se aceitar todos os convites vou sair e beber todos os dias. Fico gerenciando "essa semana tô enrolada, vamos marcar semana que vem", mas acabo marcando com mais gente do que os dias da semana. Aliás, já tinha marcado quatro chopes pra próxima e vou ter que cancelar todos porque vou viajar a trabalho. Se eu começar a marcar na agenda um após o outro acho que em uma semana fecho a programação pro mês inteiro.

Hmm... quer saber? Foda-se. Vou parar de pensar e apenas continuar vivendo.

3 comentários:

Ana disse...

Bet...tua mãe foi pra luz de ir pra luz mesmo ou perdeu a lucidez de vez?
Bjos

Roberta disse...

Ana, "ir pra luz" pra mim é ir de vez para o universo paralelo.

Ana disse...

Entendi.

:-/