domingo, 5 de abril de 2009

VDM

Quando saí do trabalho na sexta-feira o tempo tava nublado claro, com pinta de que ia abrir. Deixei o guarda-chuva na gaveta, pois era o que mora lá mesmo (tenho um em casa e um no trabalho). Tô chegando em casa e cai um temporal. Como ando 3 quadras do ponto até meu prédio, resolvi comprar um guarda-chuva. Olhei em volta e nenhum camelô. Merda, cadê os senso de oportunidade dessa gente, hein?

Entrei em uma loja e demorei séculos pra lograr êxito, pois você precisava tirar a nota em um balcão, pagar no caixa e ir a outro guichê pra pegar o produto. Isso tudo por um guarda-chuva de cinco reau. Quando finalmente saí, tinha parado de chover.

Sim, agora tenho um novo guarda-chuva vagabundo no armário. Posso guardar para ceder a visitas em caso de emergências pluviais (quiçá fluviais, já que minha rua enche).

3 comentários:

Eugenia disse...

ai, na Rio Branco os vendedores de g.chuva aparecem em segundos!

Roberta disse...

Pois é, mas ali perto do Saara não.

Helga disse...

Falou tudo. Perto do Saara. Não tem mercado.

Mas realmente, quando a chuva vem os vendedores de g. chuva costumam brotar do chão!