sexta-feira, 17 de julho de 2009

Alegria, alegria

E olha que o dia não começou muito bem. Acordei com o despertador, mas desliguei e dormi. Não cheguei a perder a hora, mas também não deu tempo de ir na lavanderia pegar a roupa. Toalha de banho ainda rola porque tenho muitas (obrigada Gisele, Pedro, Juliana, Ronaldo e Viviane pelas toalhas que vcs me deram de presente), mas roupa de cama não tem mais limpa (Nara, sua safada, cadê o jogo de cama que tu ia me dar?). Não posso sujar o lençol ou vou ter que sair pra comprar outro.

Pois bem, fui tomar meu banhinho matinal da felicidade pra ir trabalhar. Já tava quase terminando, exaguando o cabelo quando a água foi minguando e... acabou. Sim, amigos, a água acabou. Me sequei, achando que tinha dado pra terminar, e chamei o puto do porteiro no interfone. "É, tá fechada. Tem uma obra no xxx". Claro que não passou pela cabecinha de merda dele interfonar avisando. Me arrumei e fui para o trabalho. Peguei uma ventania quando desci do ônibus e, ao passar a mão pra ajeitar o cabelo, descobri que tava colado na parte de trás. Condicionador. Tudo bem. Prendi em um "rabo de cavalo" e segui semi-atrasada pra minha reunião. Hoje nem encontrei tiozinho falando sozinho no mato.

A reunião foi como de costume: até proveitosa. De todas as minhas reuniões semanais, essa é a melhor, apesar de ser às sextas pela manhã. Na saída, para compensar o cabelo colado parei na banca de jornal para tomar sorvete. Chupei Chicabom. Muito auspicioso começar a sexta-feira chupando Chicabom. Pena que os gatinhos não tavam lá, sempre tem uns disponíveis para serem coçados. Segui devagar pro meu prédio, conversando ao telefone com meu interlocutor favorito e pingando picolé na roupa. A vida é bela numa sexta-feira de sol, melhor só mesmo se eu estivesse na praia tomando cerveja gelada.

Na repartição, tudo tranquilo. Respondi meus e-mails, fiz umas coisinhas e fui almoçar. Como ainda não estou apta a mastigar, pedi uma sopa. Creme de palmito. O gosto não tava ruim, definitivamente já comi coisa bem pior. Só que tinha brinde: um cabelo que não era meu. Encerrei o almoço e fui pro meu café expresso da felicidade.

Pra rebater outro mau agouro, tratei de ir pro sol espremer pelinhos encravados da perna com minha amiga Graci. Quase torramos. A vida sempre é bela ao sol.

Hoje o expediente acaba às 16h, porque tem festa junina julina, mas já que não posso morder nada, tal e qual o Leão da Montanha, vou é vazar. Vou pra casa dormir. Um soninho de saúde me deixará muito mais linda esta noite. Alegria, alegria.

10 comentários:

pequena disse...

ui.... odeio qdo a água do banho acaba!!!! acaba com o meu ia tmb!!

mas como hj é sexta, vc tá certa!! alegriaaaaaaa!!!!

bejus!

Roberta disse...

Não ia ser um cabelo grudado de condicionador que ia estragar minha sexta-feira!

Graciana disse...

Não, esta sexta-feira está pura felicidade. Iremos beber na casa da cachaça e alegrar a molecada da Lapa com nossa beleza.

Roberta disse...

Desfilaremos nossas belezas morena e ruiva pela noite da Lapa, ofuscaremos as travecas e peruas.

guetoblaster disse...

eu acordei era 5:30 da manhã e fui feliz fotografar na praia. voltei assei o pão de gergelim pro café da manhã fiz, trouxe lentilha pro almoço e vou chupar um chicabom indo pra praia agora. hoje tem rodrigo santos e vamos que vamos.

Eugenia disse...

amiga, eu pensei em vc hj qdo acordei. lembrei q somos pessoas solares, como a maria alice do filme todas as mulheres do mundo. um beijo, tenha um ótimo e ensolarado final de semana...
p.s. sua c... está guardadinha para qd conciliarmos as nossas atribuladas agendas :)

Roberta disse...

Eugenia, quando terminar seu retiro me avisa. Saudade.

Renata Saintive disse...

Cade vc?

Nathália Rodrigues disse...

Cade Robertinha???

Roberta disse...

Estou aqui, amores!