quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Vivendo perigosamente

Hoje fui trabalhar com um sandalhão de dois andares, vulgo plataforma, que arrematei em um Swap. Foi um exercício me manter em pé em cima daquele troço, afinal, como vocês sabem, trabalho fora do perímetro urbano, em um lugar não adaptado à ocupação humana, sem calçamento adequado, sórdido, indigno e desagradável. Virei o pé três vezes, mas sobrevivi.

A primeira, foi logo que desci da passarela, pois ou olhava para o chão, ou para a frente. Ou caía em um buraco no piso ou trombava em alguém. Tropecei em um buraco, mas segui altiva. Outra virada de pé na subida da ladeira, mas perseverei. Quase na hora de ir embora, já tava me achando poderosa no sandalhão quando fui fazer aquele último xixi antes de ir embora e virei o pé na saída do banheiro. Claudio, o segurança, viu. "Que isso, acidente de trabalho no fim do expediente não!". Podeixá que não vou atrapalhar o ritmo da repartição!

Pior foi na hora do almoço, távamos eu, chefinho e chefinha. Corajosa, topei ir pela trilha. "Se eu cair seguro em você, vamos os dois barranco abaixo", avisei chefinho, outrora moço educado, achando que ele ia na minha frente, pra não me deixar despencar. Que nada. "Vou atrás de você, pra te ver cair". Caí nada, rapaz! Sobrevivi!

3 comentários:

raysa disse...

sandália plataforma é uma beleza pra essas calçadas do meu Brasil.. só virando o pé e mantendo a classe rsrsrs

Roberta disse...

Raysa, um aprendizado. Pretendo vir trabalhar com elas pelo menos uma vez por semana.

Gisele disse...

Melhor que a combinação plataforma +terreno irregular, só mesmo salto fino +pedra portuguesa.