sexta-feira, 28 de maio de 2010

E por falar na Cigana...

Essa semana uma amiga ligou perguntando da Cigana, pretendia indicar pra outra amiga. Avisei que realmente, gostei das primeiras vezes que fui, mas da última me decepcionei e larguei dela. Até então ela mandava bem, acertava tudo e seus prognósticos sempre se confirmavam, mas não sei o que deu, sei que naquele dia ela mandou mal. Pra começar, rolou um barraco esquisito com uma outra cliente. Quando entrei ela passou um tempão falando da confusão e ainda disse que a cliente barraqueira tinha sentido a minha energia, por isso tinha surtado. Eu, hein. Me inclui fora dessa. 

Não bastasse gastar cinco dos meus quinze minutos de consulta falando da consulta da Nem, passou outros cinco falando do meu trabalho, que não costuma ser questão para mim e não me faria ir a uma Cigana. Me fez uma série de alertas sobre meus cálega de repartição, mas depois disse pra eu não esquentar que eles não iam me derrubar, eles que iam cair. Oras, pra que essa lenga-lenga então? 

Daí avisou "sei que você quer falar de amor, mas hoje não tô falando disso porque não tem amor pra você até o ano que vem". Vaticinou que vou conhecer meu próximo amor num dia de chuva de fevereiro de 2011, mas até lá só pegação. Disse pra eu largar meus peguetes atuais, enfilerou e dissecou os problemas dos brutos. Tudo bem, nisso ela acertou, mas me mandou manter um deles. "Pra namorico não serve, mas continua dando uns amassos nele que pra isso ele é bom". Humpf! A princípio obedeci, até me esforcei, só que ela tava errada. Nem pra peguete ele servia, porque não me pegava! De que me serve um peguete que não me pega? Tô fora.

Ah, e sobre o trabalho? Pois é. Ela não previu que em menos de uma semana eu receberia uma proposta de emprego que quase me fez mudar de estado. Foi por muito pouco que a Lapa não me perdeu.  

Mas ainda assim, eu teria pensado que talvez ela não quisesse falar da proposta ou que talvez o tal do peguete nem fosse tão ruim. O negócio é que antes de eu ir embora, ela disse eu não tinha sorte com amigos. Avisou que uma grande amiga ia tentar me dar uma rasteira. Foi nesse instante que ela me perdeu. Se eu não tivesse sorte com amigos não teria nada na vida. Meus amigos são meu chão, minha alegria, minha certeza, minha família que eu escolhi. Ai, Cigana, mandou mal.

10 comentários:

Eugenia disse...

Jesus do Céu! Se tem uma pessoa com sorte com os amigos é vc. Essa Cigana mandou meeeega mal. Nunca mais ponha os pés lá e ñ a indique mais pra ninguém.

Roberta disse...

Pois é, Eugenia. Foi exatamente o que decidi.

Nathy_Rosa disse...

Me passa o tel da cigana!?

marcella disse...

morro de medo dessas coisas...

Renata Saintive disse...

Eu tb tenho medo, uma vez fui e falou q um advogado seria o homem da minha vida... fiquei um ano encanada com isso... ao inves de perguntar nome, perguntava profissao... descartei tudo q nao era advogado...
hahahah
No final casei com um engenheiro... entao... no meu caso, foi roubada... ou sera q casei errado...? hahahahaha

Fernando disse...

As ciganas por aqui agarram a gente a força no meio da rua, quando as vejo atravesso rápido para o outro lado.

Idoca disse...

"A cigana leu o meu destino/eu sonhei/bola de cristal/jogo de búzios, cartomante..."

Só na samba, mesmo (e que samba...).
Cigana de cu é rola!

Chega.

Anônimo disse...

Mas numa coisa vc esta certa: de que serve um peguete que nao pega? Te entendo perfeitamente! Lol.

Lady disse...

ai, nunca acreditei em ciganas, mas essa daí me parece que tava te tapeando por causa do dinheiro, hein!

Natalia Holanda disse...

Todo mundo tem um amigo urso. Família é nossa mãe, pai, irmãos. Vai pensando que todo mundo é verdadeiro como aparenta... a gnt sempre fecha os olhos pq nao quer acreditar nisso, mas sempre tem um falso amigo com inveja.