terça-feira, 29 de junho de 2010

É hoje o dia!

O dia de todo o ódio e todo mau humor. Não devia ter saído da cama, não devia ter saído de casa, devia ter me trancado lá no escuro e esperado ser amanhã. Hoje eu odeio tudo.

Acordei atrasada, cansada, com dor de cabeça e no corpo. Meus olhos doem e ardem. Tão quebrando a calçada em frente ao meu prédio por ordem da prefeitura que exigiu que fosse nivelada. O resultado é uma britadeira me atormentando desde o ontem de manhã. Eu odeio o homem da britadeira, a síndica que o contratou, os desocupados que ficam parados olhando e, especialmente, o fiscal da prefeitura que tentou descolar uma grana do condomínio e, como não conseguiu, mandou quebrar a calçada que nem era tão ruim se considerado o entorno.

Tomei banho e nem isso me fez feliz. Eu adoro tomar banho, mas não hoje. Meu cabelo tá medonho. Nenhuma roupa dava em mim, tudo parecia um saco de batatas ambulante. Saí de casa me sentindo uma bosta e vim pro trabalho. Odiei cada um no ônibus. Odiei o cara que tromboucomigo na entrada da repartição. Odeio pessoas que acham que têm o direito de entrar primeiro, mesmo tendo chegado alguns instantes depois de mim. Espero que ele caia nesse chão irregular desse buraco, quebre os dentes e fique com a roupa suja de sangue.

Mas até então eu ainda não tinha exercitado o ódio máximo que meu corpinho disforme e minha mente doentia são capazes. Eu ando uns 15 minutos dentro deste matagal desgraçado até o prédio triste onde cumpro expediente. Odiei cada passo, especialmente o matagal. Queria muito tocar chutar as plantas, arrancar, tocar fogo. Havia adolescentes passeando no parque. Queria vê-los tropeçar e cair, arrebentando a cara e os dentes. Quero sangue, quero choro e ranger de dentes.

Sabe que eu quero mesmo? Quero que essa merda de lugar exploda. Que exploda tudo. Que Manguinhos vá pelos ares com tudo, com matagal da repartição, com refinaria, com complexo de favelas no entorno. Uma grande explosão que não deixe nada vivo nem nada inteiro, só um buracão. Quer saber? Nem me importo de estar aqui na hora da explosão.

FODA-SE!

Eu játinha banalizado a repartição, nem reparava mais no matagal, nas calçadas mal cuidadas, na mediocridade e sordidez. Hoje tudo voltou a ser como nos primeiros dias. Reparei em cada pedrinha desgraçada do chão.

Odeio muito tudo isso. Odeio esse lugar.

12 comentários:

Anônimo disse...

Quando eu crescer quero ser igual a você!
Guido, Power Guido

Debora disse...

Roberta,
ninguém consegue expressar melhor do que vc a fúria pela mediocridade e sordidez humana... RsRsRs... Parabéns, assino embaixo do manifesto de ira...
BJS
Debora

Roberta disse...

Power Guido, olhos injetados e nenhuma piedade! Vai aprendendo.

Debora, são anos de treino...

Renata Saintive disse...

No mercy! haahah

So vc pra me fazer rir com tanto odio... hahah

Anônimo disse...

é tanto ódio pelo trabalho mesmo ou foi um dia terrivel?

Anônimo disse...

cara, pior que o dia não ta sendo ruim so pra vc... eu e mais um amigo do trabalho tamo na mesma vibe.
minha solidadriedade e convite pra afogar os problemas na são salvador, a partir das 22hrs.

marilia disse...

cara, pior que o dia não ta sendo ruim so pra vc... eu e mais um amigo do trabalho tamo na mesma vibe.
minha solidadriedade e convite pra afogar os problemas na são salvador, a partir das 22hrs.

Anônimo disse...

Segui seu conselho, olhos injetados e nenhuma piedade.
Minha gata sentiu o baque e pediu clemência, viu que a coisa tava feia e que eu poderia sumir por uns dias.
Fiz um acordo com ela. Ao caminharmos de mãos dadas ao extase, os dias de presença seriam balizados pelas quantidades de estocadas (penetrações aos iniciados), caberia a ela prolongar o tempo da chegada ao Nirvana.
Você é uma mestre na didática do prazer, ainda que mórbido...

Guido, Power Guido

Glauce disse...

"Espero que ele caia nesse chão irregular desse buraco, quebre os dentes e fique com a roupa suja de sangue.

Mas até então eu ainda não tinha exercitado o ódio máximo que meu corpinho disforme e minha mente doentia são capazes."

Roberta, ótimo! Seus textos de ódio desmedido são tão bons quantos os relatos sobre as palhaçadas, adoro!

Aline Pozzan disse...

MELDELS... que é issu? hehehe

" Anônimo disse...
Segui seu conselho, olhos injetados e nenhuma piedade.
Minha gata sentiu o baque e pediu clemência, viu que a coisa tava feia e que eu poderia sumir por uns dias.
Fiz um acordo com ela. Ao caminharmos de mãos dadas ao extase, os dias de presença seriam balizados pelas quantidades de estocadas (penetrações aos iniciados), caberia a ela prolongar o tempo da chegada ao Nirvana." ???? :- O

Anônimo disse...

Caraca quanto ódio nesse coração meu Deus! rsrs
Será que td é tão ruim assim? Ou ás vezes estamos tão egoístas a ponto de não darmos o verdadeiro valor às coisas a nossa volta?
Vai entender o ser humano...

Milena disse...

Resumiu o que eu to sentindo! Só uma coisa, essa explosão pode ganhar maiores proporções e explodir também o estado de SP? Grata!