domingo, 4 de julho de 2010

Domingo de sol

Tá um dia lindo, queria muito ir andar na praia, sentir a areia gelada da beira do mar embaixo dos meus pés, olhar o mar, talvez dar um mergulho. Queria mas não vou. Tenho laser na quarta-feira e já tinha marcado de almoçar com a minha mãe. Ela está tristíssima porque a Argentina foi eliminada da Copa, vou lá consolar a velha.

A vida é bela, mas às vezes é meio idiota. Vou ao supermercado porque acabou o pão e o inseticida, o queijo mofou e preciso de uma lâmpada pro meu abajur de cabeceira. Vou tomar café na padaria vendo o povo e seus costumes passarem pela Praça João Pessoa e depois me jogo no Rede Economia xexelento da Gomes Freire. Daí trago a tranqueira em casa, tomo um banho e vou pro aprazível bairro do Grajau ver minha família. Isso era a última coisa que eu queria/devia fazer hoje, mas muito menos estou com paciência pra ladainha de "estamos com saudade. Você tem família sabia?" ao telefone. Melhor ir pra uma visita rápida.

Depois talvez vá tomar uns drinques em algum lugar ou vá a um samba com uma amiga. Não sei, sabe? Tenho gostado de estar sozinha. Não ando com paciência pra outras pessoas. Tem que falar, tem que conversar, tem que sorrir. Normalmente eu gosto, mas às vezes cansa. Tô cansada. Mais tarde decido meu destino.

3 comentários:

SIDINHO DJ disse...

momentos de introspecção, às vezes , são necessaríos ... bjaum pra vc e abço apertado!!!!! bom domingo pra vc.

Roberta disse...

Sidinho, isso, isso...

Gazzy1978 disse...

Roberta, o final do seu post me lembrou taaanto os da Fernanda Rena, do "Ninguém lê esta porcaria"...