sábado, 7 de agosto de 2010

O dia seguinte....

Lindos, Guilherme me mandou um torpedo que eles me adoram e que Carol me acha excelente companheira de pista. Amo vocês.

Mais cedo ele me ligou pra saber como a noite tinha acabado. Acho que ele tinha esperança que eu pegasse alguém. Nos bons tempos, sempre que ele me via pegar alguém ligava no dia seguinte "E aí, pirocão? pirocão? pirocão?". Quando eu questionava o interesse no calibre do pau dos catiços que eu arrastava. Ele dizia que era procupação com a minha felicidade. É um amigo zeloso.

Ele contou como e porque foi embora. Confessei que nem lembrava de ter chegado em casa e resmunguei da cartela. "Ah, vai, tua noite acabou bem. Deixei pago! Quem me dera um fim de noite desses. O senhor é o Guilherme Valente? Pode ir, sua conta tá paga. Quem me derá".

Logo depois ele ligou de novo. "Cara, eu tô com uma queimadura de cigarro dupla no braço. Não tenho a menor ideia de como aconteceu". Respondi que tava sem lesões cedo demais. Quando fui tomar banho descobri que quebrei a unha do dedão direito e umas manchas roxas no braço esquerdo. Tudo tem seu preço.

6 comentários:

Misi disse...

conta!! :)
cómo y por qué foi embora?

Roberta disse...

Sou blogueira, mas sou discreta.

SIDINHO DJ disse...

dexa quieto....uuuiiiiiiiiiii

Anônimo disse...

ahahaha tbm já quebrei a unha do dedão do pé e só vi no outro dia:D
tinha ido num show, acho q foi d tanto pisarem no meu pé :s

quem não bebe não tem história,,,

Roberta disse...

Como diria O Orientador, precisamos construir nossa biografia...

Gazzy1978 disse...

Nessas horas, é bom ter um amigo abstêmio por perto, que é aquele que conta pra vc exatamente o que vc PRECISA lembrar q fez. Palavras de abstêmia (forçada). E não, nunca sacaneei ninguém dizendo q fizeram coisas vergonhosas só pra ver a cara de tacho deles...