quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Merda

Tempo nublado e friozinho de manhã. Acordei cedo pra resolver um monte de coisas antes de ir pra repartição. Tive que ir na minha agência bancária. Eu odeio ir a bancos, odeio bancos e odeio mais ainda os velhos psicopatas que fazem daquilo um compromisso social. Um velho podre tentou puxar papo comigo, mas meu olhar gélido e silêncio sepulcral o fizeram calar a merda da boca suja. Nem precisei dizer 'cala a boca, velho podre'.

Atrasada, peguei o bonde do hospital, digo o 497, na Praça da Cruz Vermelha e fui pro trabalho. Cheguei na hora do almoço. Larguei a bolsa na mesa e fui comer. Chovia no caminho pro restaurante podre, quente e xexelento. A comida tava uma merda, como sempre e o quiche de sal tinha acabado justo na minha vez.

Agora estou aqui, escrevendo uma matéria de bosta na qual ninguém tá interessado. Daí vou publicar na bosta de site que edito e vou embora. Vou passar na Tijuca pra buscar um remédio na farmácia de manipulação e depois pego o Metrô pro Largo do Machado pra ir na terapia. Odeio andar de Metrô. É quente, cheio e xexelento, abarrotado de gente feia e mal vestida, com sapatos medonhos. Odeio gente de sapato feio.

Se eu sobreviver ao Metrô e à sessão de terapia, pretendo lavar roupa ou arrumar armário à noite.

É, é isso aí, hoje não é um bom dia.

11 comentários:

CHRISTIANE AMORIM disse...

Qual é o site? Queria ler a matéria! Beijos

Oscar disse...

Velho podre?
Sem mais nem menos?

Lástimável.

Anônimo disse...

bom gente que trabalha em serviço público e ama seu trabalho. Bonito ver isso. Deve ser uma bosta de site, com uma merda de matéria escrita por um ser humano de merda tambem. Tá combinando!

Se mata e pede demissão, nao necessariamente nesta ordem. Quem sabe alguem com um pouco mais de talento e vontade resolva assumir seu posto.

Raiva de gente assim, viu!

E outra - velho podre? velho podre? vc cuida de gatos e chama um ser humano idoso de velho podre?

sério, se joga.

Fernando disse...

Aqui também estava um caos com trânsito, filas, chuva, os malucos resolveram sair todos ao mesmo tempo e ainda as múmias velhas atrapalhando o tráfego nas calçadas, junto com vendedores, bicicletas e os cavaletes da propaganda eleitoral dos inúteis políticos.
O metrô eu gosto vai rápido onde eu quero, nem tenho tempo de reparar na gente que está ali.

Alborguetti disse...

Que chatice desses (ou desse né. pelo intervalo de tempo entre um post e outro deve ter sido 1 pessoa só que escreveu pra concordar com ela mesma) chatos do caralho. Vão se fuder, não gostou da porra do post, fecha o navegador e vai dar meia hora de cu.

Também tive uma manhã de merda e vou escrever um email mandando gerals e fuder.

Fodam-se velhos chatos e podres que lotam ônibus e bancos de manhã.

Não entendo essa babaquice de todo mundo achar que velho é santo. Já foram todos filhos da puta e só envelheceram porque vaso ruim não quebra então NÃO FODE.

angela b. disse...

Inveja: 1.Sentimento de pesar ou desgosto em face da felicidade, da superioridade de outrem. 2. Desejo de possuir o que é de outrem.(Identificou-se).

Ai meus sais....

Luiz disse...

Se tem problema, está com raiva da vida, fica na tua, não usa suas frustações com os 'velhos podres'.
Quem é podre nessa história?
Disseminar diferenças em função de frustações não é normal, é coisa de quem precisa de ajuda.
Prá que escrever um livro, convidar perssoas e depois tripudiar?
Visite o nosso Portal (www.portalterceiraidade.com.br) e verás que temos um otimismo real e o mínimo que esperamos é o respeito, porque você chegará lá.
Uma pena que rotule os idosos dessa maneira.

Onofre Francisco de Souza disse...

Velho podre? Você deve ter ódio do seu pai, do seu avô, do seu tio, afinal você não é nenhuma cocotinha e seus parentes são idosos que frequenta, fialas, se por um acaso eles conseguem que outros frequentem filas em seu lugar, que ótimo, mas fique sabendo que é exceção.
Respeite os idosos, é o mínimo de civilidade que precisamos.
A tal modernidade está levando a Sociedade para baixo, ignorando valores éticos e morais indispensáveis ao bom relacionamento, lamentável sua posição.

Juliana disse...

Acho incrível a falta do que fazer das pessoas. Entram num blog pessoal, na qual a pessoa escreve o que quiser e como quiser, afinal o blog é PESSOAL.. E se dão o trabalho de fazer um comentário reclamando do que foi escrito. Quando não gosto do que eu leio, fecho a tela, da mesma forma que quando não gosto do que escuto, saio de perto. Não vale a pena se aborrecer a toa e nem encher o saco dos outros quando não concordamos com seus atos e suas opiniões.
Criticar as pessoas escondido pelo anonimato ou atrás de uma tela de computador é muito fácil, mas encarar o problema real do dia a dia, problemas que realmente existem. Poucos fazem!
Ninguém conhece a Roberta realmente para julgá-la. E mesmo que conhecesse ninguém tem o direito de julgar ninguém!
Juliana

Ana disse...

Eu não rio de qualquer coisa. Aliás, de quase nada. Mas dos sapatos medonhos eu ri. Muito.

Roberta disse...

Christiane Amorim, é uma intranet, o acesso é restrito aos funcionários.

Oscar, eu sou uma velha chata, mas não tão podre ainda.

Anônimo, vc não tem mesmo o que fazer, né?

Fernando, fiquei olhando pros meus próprios pés calçados em lindos sapatos e não sofri.

Luiz, tu é chato.

Onofre, aprendi o termo 'velho podre' com a Isaurinha Garcia, que já tava pra lá de podre, mas tinha senso de humor.

Juliana, o mundo é estranho.

Ana, odeio sapato vagabundo.