quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tô puta

Meu telefone celular acaba de tocar pela 3a vez hoje e, quando atendi a chamada de um número privado, desligaram na minha cara. A partir de hoje não atendo mais ligações de números privados no meu celular. Já tinha parado de atender no telefone fixo há alguns dias.

Acontece que tem coisa de uns dois ou três meses que algum filho da puta desocupado liga para minha casa uma porrada de vezes por dia. Quando eu atendo, o babaca desliga. Meu telefone tem identificador de chamadas, mas como é um número privado e aparece apenas um "2" no canto do display.

Todos os dias quando chego do trabalho há umas 2 ou 3 chamadas no bina e recebo outras 2 ou 3 ao longo da noite. Com o tempo, o ser sem luz se animou, perdeu o pudor e começou a ligar em horários mais escrotos, como no meio da madrugada. Tomou gosto por me acordar. Passei a desligar o som do telefone antes de dormir e avisei minha família para, na eventualidade de uma emergência, ligar no celular. Quando vou dormir o telemóvel também fica em um perfil que só recebe chamadas da casa da minha mãe e dos celulares da minha mãe, irmã e cunhado, além de três amigos amados que podem precisar de mim.

Há coisa de um mês enchi o saco da brincadeira e pedi para a Oi trocar o número do meu telefone. Vai tomar no teu cu, porque custava 75 pratas. Sem chance de eu gastar essa grana por causa de uma alma sebosa. Só se fosse pra mandar o filho da puta pra vala de vez. Muito puta, passei a atender e dizer "vá tomar no cu" e desligar antes dele. Tá, mas também cansou rápido, daí resolvi atender e ficar muda. O exu do outro lado da linha também ficava mudo por alguns instantes e daí desligava. Mas mesmo essa brincadeira não tem graça, daí simplesmente parei de atender o fixo quando não reconheço o número, seja privado ou não. Me livrei do imbecil, do banco e da LBV de uma vez só.

Mas alegria de pobre dura pouco e o filho de uma que ronca e fuça não se conteve. Desde que parei de atender o fixo, começou a ligar pro celular e desligar quando atendo. Ai, que divertido, né? Acabei de criar e ativar um perfil que simplesmente não toca no caso de ligações de números privados, mas me aborreci, sabe? O negócio é esse, ligar pro meu celular já foi abuso e eu se aborreci de vez. Tô puta, mas tão puta que amanhã vou gastar a porra do meu segundo dia de férias na delegacia registrando sei lá como se chama o ocorrido, mas sei que daí os caralhos das companhias telefônicas vão ter que tomar alguma atitude.

Meu amigo, minha amiga desocupado(a) que me liga o tempo todo, vá tocar uma punheta, vá chupar uma rola, vá lavar um tanque de roupa suja, passar trote pro corpo de bombeiros, lixar a unha do pé, vá pra puta que te pariu, mas para de me encher o saco, porra.

5 comentários:

Anônimo disse...

Roberta,

Estou vivendo uma situação similar. O infeliz liga no sábado à 1 AM, no domingo às 10 hs. E o pior, estava saindo com meu gato mirim e o telefone tocou, o maldito telefone privado, só que não sei o que fiz que a P*** não desligou. O infeliz ficou 45 minutos escutando eu e meu gato. Isso só pode ser masoquismo, afff. Quando descobrir o que as operadoras de telefonia podem fazer, não esqueça de contar.

abs

Roberta disse...

Anônimo atormentado, se eu descobrir prometo contar.

Adriano disse...

É por causa de posts como esse que eu venho aqui quase todo dia. Adoro o seu jeito de falar palavrão e não ser vulgar.

Anônimo disse...

Esse cara é bom!!!! huauauauauauau.

lariluz disse...

Eu ri da quantidade de palavrões que vc mandou.

Mas tb já passei por isso, e dá ódio! Na minha casa tinham dois telefones fixos e, na época, eu tinha dois celulares (hj são mais, que raiva). O filho de uma p*** ligava NOS QUATRO TELEFONES sempre de madrugada, de um número que nunca atendia qdo eu ligava de volta, tive que começar a desligar TODOS os telefones antes de dormir... Isso se arrastou uns dias até conversarmos com a família do dito-filho-duma-p***, que negou que era ele, mas "milagrosamente" as ligações pararam.

Essas pragas tem que morrer devoradas por lacraias, pedacinho por pedacinho!