segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Primeiras horas de quarentona toda boa

Sei que estou mais bonita do que quando completei 20 ou 30, mas não tô me sentindo tão bem assim, sabe? Há algo fora do lugar e não tô falando da bunda que insiste em cair, mas talvez seja só inferno astral.

Como sempre, consegui surpreender e bater recordes. Meu aniversário começou há duas horas e já me chateei. Talvez eu que seja uma chata, sabe-se lá. O mundo é estranho, mas tudo bem. Tudo passa, tudo na vida passa, até o trem passa, até uva passa, né? A vida é bela, sempre!

*****

Tô aqui, com os olhos ardendo, mas sem sono, ouvindo Zeca Baleiro, sem saber se deixo o celular desligado ou se ligo (obtive o aparelho de telefone móvel da minha mãe emprestado até descolar outro). Ele toca alto e estridente. Tomo um susto toda vez, mas tô com preguiça de futucar pra ver como muda. É um Motorola e eu (quase) sempre usei Nokia. Pretendo dormir até acordar e não quero ser acordada. Tenho medo do celular tocar de manhã, eu despertar assustada e azedar.

Ah, para piorar meu pré-azedume, pouco depois de 1h da manhã alguém deu um toque de um número privado. Desliguei com receio que fosse algum sem noção que quisesse me dar parabéns a esta hora. Se já odeio números privados, imagina os que me ligam de madrugada, ainda que seja meu aniversário...

2 comentários:

Eugenia disse...

eu tb odeio núm. privado. eu tb amo o nokia. eu tinha q ser sua amiga. kkkkk

Roberta disse...

Decidi que não atendo mais ligações de número privado. É tocobina sem dó!