quarta-feira, 22 de junho de 2011

Pouca sorte

Cheguei do trabalho, arrumei a casa, encarei uma sopa Zero Ponto do Vigilantes e fui tomar banho. Honesto pra uma véspera de feriado sem grandes perspectivas, ainda mais depois de um engarrafamento pra voltar pra casa, né? Humpf. Eis que, quando estou toda ensaboada, falta luz. Achei que o disjuntor tinha desarmado. Não havia motivo pra isso, ainda não tava nem na metade do banho e fecho a água pra me ensaboar, mas sabe como é chuveiro elétrico, né? Bom, se não sabe eu te digo: é uma merda.

É, dileta audiência, dei uma enxaguada básica na água fria e saí do banheiro tiritando. Era melhor que tivesse sido o desgraçado do disjuntor. Tinha faltado luz na rua toda.

A-de-vi-nha?

Levou uma hora e meia pra voltar.

Sequer podia me pendurar no cel ou blogar dele porque só tinha um pontinho de bateria e podia precisar.

Ah, por que não foi pra rua? E se a luz não volta, tenho que subir de escadas? Nananinãonão!

Sabe lá o que é o tédio de estar sozinha em casa sem nada pra distrair e no escuro?

PUTAQUEPARIU!

4 comentários:

Aline Pozzan disse...

Sou uma pessoa mais feliz depois que casei ,me mudei e no meu ape tem chuveiros a gás . É mil vezes melhor... Qts vezes fiquei igual a uma corna no banho, pq faltou luz, ou pq a resistencia queimou, ou pq o chuveiro explodiu e eu quase , por um milésimo de segundos não fiquei careca ou morta, pq o chuveiro explodiu e uma bola gigante de chuveiro derretido e fumegante estava escorrendo em cima da minha cabeça. ME puxaram e ME salvaram de uma morte terrível.

Roberta Carvalho disse...

Pois é, fui criada em chuveiro a gás. Depois que saí da casa materna só morei em apartamentos com chuveiro elétrico. Um cu.

Pati Linden disse...

Só um comentário: CARALEO!

Roberta disse...

É, amiga, pelo menos eu tinha velas. kkkk