domingo, 29 de novembro de 2009

Dando crédito a quem merece

A expressão "garotona" peguei emprestada da minha amiga Marita, que também cunhou a célebre frase que dá título a este blog.

Ela foi minha chefa nos idos de 97 (ui!) e nos tornamos amigas. Na época, eu era a garotona. Alexandre Tanja, o outro estagiário, era O Garoto. Ela sempre me ligava pra dar alguma instrução "Ô garota, quando você chegar..." ou para corrigir algum texto "Garotona, isso não se escreve...". Foi Marita quem me ensinou a ser jornalista.

Ela se referia aos irmãos também como O Garoto, que era o mais velho, e Os Moleques, os dois caçulas.

Aprendi muito com Maritinha. Ela sempre dizia "É garotona, o mundo é estranho".

Quando a convidei pro meu último aniversário, ela se surpreendeu ao saber que eu completava 38 anos. "Tu não foi minha estagiária? Como foi que a gente ficou quase da mesma idade?".

É que me formei velha, daí alcancei ela. :P

***

Sei não, mas acho que Maritinha anda variando. Desde que criei o blog ela se refere a mim como "Ô Maluca". Na verdade, acho que ela trocou minha alcunha depois que mostrei a calcinha em um chope de aniversário do blog. Ela me ligou "Ô maluca, que história é essa que ouvi falar de tu mostrando a calcinha numa festa?".

Em setembro ela escreveu para menina Krakovics "A maluca tá aí contigo, né?". Eu expendia parte das férias na aprazível cidade de Brasília. Krako não sabia da alcunha e, claro, jamais associaria o termo "maluca" a mim, mas como eu era a única hóspede, concluiu que falavam de mim.

Maluca, eu???

3 comentários:

Marianna disse...

Falta um pouco de sanidade para os jornalistas.

bjs

Carmen disse...

Nunca.

Flavia Lima disse...

Maritab é sensacional!