sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Calçado anfíbio

Hoje fui trabalhar linda, linda, de vestido preto risca de giz e galochas bordô. É que minha rua amanheceu ainda alagada. Esperei a água baixar por umas 2 horas olhando pela janela. O rio que se formou uniu a Inválidos e a Gomes Freire e a água turva invadiu a portaria do meu prédio. Passou uma porta branca boiando, mas acabou encalhada num carro estacionado.

Finalmente estiou e a água começou a baixar. Quando os carros conseguiram passar, resolvi me arriscar munida do meu calçado anfíbio. A esquina da Inválidos ainda tava alagada, mas já dava pra sair pela Gomes Freire. Muito lixo espalhado e até uma placa de carro no chão. Que beleza o Rio de Janeiro!

No caminho, passei por uma obra e a rapaziada aprovou meu visual "É isso aí, amor! pra andar no Rio de Janeiro tem que ser assim", disse um apontado pras minhas botas vermelhas. Sorri e dei tchauzinho pros meus admiradores.

7 comentários:

Idoca disse...

Hehhee..

Na minha rua tem uma obra. Já conheço todos os pedreiros. E eles, a mim, claro. Passando todo santo dia, na mesma hora, como não cumprimentar, né (e eu falo com a porra toda na rua: pedreiro, gari, porteiro, feirante)?
Como a construção já tem uns meses, eles já conhecem todo o meu guarda-roupas.
O curioso nisso é que quando tem uma peça nova, eles comentam lá de cima: "aê, dona.. vestido novo (ou blusa, qq merda)... tá bonitona"

Também aceno, agradeço e desejo bom dia.

Que bucólico.

raphaeljordao disse...

Fala moça, tudo bem??? Vou passear na Lapa hj com uma galera, beber cerveja e sambinha, despedida de solteiro de um palhaço-sambista. O que sugere? Vai estar por perto? bjs

Roberta disse...

Idoca, também respondo todo mundo. :)

Raphael, fala sumido!
Vou tomar uma cerveja na Lapa e depois vou pra Matriz, mas ainda não sei.

Tem ensaio do Céu na Terra na nova sede do Bola Preta, esquina de Relação com Lavradio. Acho que é uma...

Bebel disse...

Aí, eu trabalhava na Gomes Freire (5ª DP), quando alagava, só passava seringas e materiais "sirúrgicos" do IML. Adorável sair de lá 1/2 noite!
E só com utilitário. Cansei de dormir lá, já que era inviável sair.

guetoblaster disse...

eu já fiquei preso neste alagamento. tem um cafofo ali quase nesta esquina. cantando foi umrio que passou em minha vida.

Carmen disse...

Trabalho por ali também, e sempre que chove eu e meu patrão assustamos os outros funcionários falando dos pedaços de corpo que bóiam...hehehehe...

Roberta disse...

Bebel, enchentes ali são históricas, sempre encheu.

Quando chove forte eu não saio de casa ou volto correndo, como medo de ficar na rua.

Gueto, acho que todo carioca que se preze já ficou alagado na Lapa.

Carmem, hoje em dia já não bóiam corpos, só portas.