terça-feira, 2 de março de 2010

Falar em sapatinho novo

Confissão de nova pobre: fui na Pele Rara ver a coleção nova, mas tratei de ir quando já tava fechada. Fiquei lambendo a vitrine da filial de Copa, a minha favorita. Se estivesse aberta eu não ia resistir. A gerente e a vendedora me conhecem, iam me puxar pra dentro, trazer sapatinhos maravilhosos pra eu experimentar, me mimar, me adular, dizer que tava lindo e perfeito no meu pé, que só tinha aquele e que eu não podia continuar respirando sem possuir aquele sapato. Aí dariam o golpe final e diriam que parcelavam em um milhão de vezes e eu ia capitular, mesmo não parcelando em um milhão de vezes, 3 bastam.

Cobiço uma versão marrom&bordô de um modelo que tenho em preto&cinza. Claro, é o modelo mais caro da loja. Não é nenhuma fortuna, mas no momento não posso me dar a este pequeno luxo. Por que que eu sou orgulhosa, hein? Minha irmã perguntou o que eu queria de aniversário e respondi "o que vc quiser me dar". Ganhei um caralho de livro com páginas despencadas. Podia ter ganho o sapato. Vou perguntar pra ela se ainda tá em tempo de mudar de ideia.

5 comentários:

Idoca disse...

Desperdiçou duas oportunidades.
Mané!

Roberta disse...

Sou pangaré.

Roberta disse...

Ah, não ia te pedir o sapato. É caro, porra.

Idoca disse...

Chega, Roberta.

Roberta disse...

Chega.