terça-feira, 9 de março de 2010

A vida é bela

Ando feliz quase o tempo todo. Semana passada postei que tava feliz e minhas amigas caíram em cima de mim querendo saber se a felicidade tinha nome, mais de 1,80m, ombros largos, mãos grandes e peito cabeludo. Não, não tem. Não há motivo específico para a minha felicidade, e isso é o melhor de tudo.Simplesmente minha vida vai bem, obrigada. Depois de muito tempo - nem sei quanto - está tudo bem. Parece até estranho, mas não tenho nenhum problema com o qual me preocupar.

Tô dura com não ficava há anos, mas é porque comprei um apartamento. Se me encho da dureza posso passá-lo e voltar pra vidinha de comprar como se não houvesse amanhã, fazer a louca do cartão de crédito uma vez por semana. Mas confesso que cansei dessa brincadeira e nem cabe mais nada na minha casa. Então, ao fim e ao cabo, nem tô chateada por estar falida porque sei onde está o dinheiro.

Não estou com nenhum problema de saúde (um pouco gripada, mas passa rápido), minha mamãe maluca e irmã trololó estão ótimas, meus 30 gatos também. Gosto do meu trabalho, embora não goste de onde ele fica, mas tenho achado até graça e não está me incomodando: banalizei a sordidez da repartição. Resolvi não estudar nada pelo menos este sementre e não quero nem pensar no doutorado: não é tempo pra isso. Em compensação vou publicar o livro do HTP e ministrar vários cursos até o fim do ano. Vou fazer duas viagens legais com amigas queridas. Tenho mais amigos do que tempo para dar a atenção que eles demandam, tenho muitos leitores e fãs queridos. Palhaços também não faltam e o picadeiro nunca fica vazio. Se eu aceitar todos os convites que recebo, saio todos os dias.

Brinco que sou gorda e, realmente, até estou acima do peso, mas a verdade é que me acho linda, charmosa, cheirosa, bem vestida, divertida e inteligente. Adoro ser quem eu sou, adoro minha personalidade insuportável, minha cara de pau irremediável, minha boquirrotice, meus acessos de raiva, minha alegria de viver. Levo exatamente a vida que eu gostaria de levar. Tenho muito orgulho de mim mesma. Eu me amo horrores.

Pois é, sou obrigada a admitir que sou feliz e, no momento, não tenho problemas. A vida é bela para quem sabe viver.

10 comentários:

Priscila C. Souza disse...

É sempre bom que estamos assim...
Estou precisando entrar nessa fase também...

Roberta disse...

Priscila, mas demorooooou...

Rio Bizarro disse...

Roberta! Fico muito feliz por estar se sentindo bem, se amando e amando a vida. Continue assim! Boas vibes, beijos!
Gab

Idoca disse...

Roberta Carvalho é GOS-TO-SA.
Isso é o que você é, sua louca.
Adorei ler isso tudo. Fui lendo e abrindo o sorriso pra tela.

Ganhei a tarde.

Muitos beijos,

Paulinhaaa disse...

Nossa, inspirador...
Tomara que a moda de ser feliz pegue aqui, tô na precisança!!!

Roberta disse...

Rio Bizarro, a vida é bela, sempre.

Idoca, e eu sorri pra tela ao ler seu comentário.

Paulinhaaa, se joga, filha!

rui disse...

Muito legal, e concordo com a idoca, pelas fotos que vi.
kkkkkkkkk

Roberta disse...

Rui, como não te conheço, vou te chamar de pândego e não de palhaço. :P

Dona Mila disse...

Aê! Isso aí, a vida é bela porque a beleza está nos olhos de quem vê. É cafona, mas super cabe. :D

rui disse...

KKKKKKKKK, gostei do pandego!!!
abraços.