quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Infinitamente triste

Hoje é um dos dias mais tristes da minha vida. Soube que Alain Pierre morreu ontem. Nem sei quanto já chorei.

Tava indo pra terapia. Desci do Metrô xexelento no Largo do Machado e fui caminhando pela Rua das Laranjeiras. Odeio andar, mas odeio mais engarrafamento. Percebi que havia duas ligações perdidas de O Orientador enquanto eu tava na condução. Retornei e ele me contou. Chegou do Intercom ontem e Alain não andava mais. A empregada disse que ele, que já estava muito fraco, não comia há dois dias. Morreu na mesma noite. Alain era um siamês dos olhos mais azuis que já vi, carismático, cheio de vontades e humores. Era o filho mais velho e favorito de OO. Se eu fazia tudo por Alain e estou inconsolável, imagina OO.

Fui chorando pela rua, nenhuma vergonha das lágrimas escorrendo pelo rosto. Lembrava Alain. Como ele deitava do meu lado, como me pedia comida. Ele tava velhinho, sem dentes, mal ficava em pé, mas era o nosso Alain. Dia triste como este só tive outros dois na vida: quando morreram Shaisha e Paul. Eu amo todos os gatos, mas alguns são realmente especiais.

Sei que Alain foi para o céu dos gatos, mas e como eu fico aqui sem ele?

5 comentários:

Anônimo disse...

Me consola achar que meus gatinhos que já morreram estão no céu dos gatos... Lá tem gramados verdinhos de folhas tenras para eles mastigarem, muitos brinquedos,caixas de areia enoooormes e sempre llimpas, água e comida fresquinhas e sofás aconchegantes que podem ser arranhados... Anjinhos dão colo e carinho, mas só quando os bichanos querem. Os gatos estão melhores lá do que aqui.

Mesmo que isso não exista... Eu sei que não existe, não tenho mais cinco anos há 35 anos... Fico contente de fingir que sim.

Fica bem.

PS: não é da minha conta, mas acho que, como eu, vc usa um motivo para chorar por outros, de tabela. Aproveitando que já está chorando... Faço isso até com filme, começo chorando com a história, quando vejo, já estou chorando pela vida...

Fica bem2.

Roberta disse...

Também não tenho 5 anos há quase 35 e sei que não existe céu nem inferno, mas me consola pensar no céu dos gatos, nos meus gatinhos que se foram brilhando como estrelinhas no céu, se divertindo atrás de borboletas, com ração super premium farta, grama verdinha e água fresquinha.

Sim, faço isso sim. Vejo filmes tristes pra poder chorar por mim mesma.

Vou ficar bem. Obrigada.

Beijos

Aline Pozzan disse...

Quem disse que não existe Céu dos Gatos? Existe sim !!!!
Pro ser humano pode até ser que não exista um céu, mas pros animaizinhos, o céu existe com certeza !!

Roberta disse...

Aline Pozzan, vc tá certa, com certeza existe. Eles merecem.

Beijo, querida.

luciana disse...

Roberta, tou mega solidária na sua dor. um beijo.