sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Limbo

Lembrei de um amigo que, certa feita, mudou-se para uma cidade do interior (há todo tipo de gente no mundo e não é errado ser assim). Meio que no mesmo estado de ânimo que eu, o bruto confessou-me que daria para fazer uma maquete da cidade com as caixas de pizza que se acumulavam em sua cozinha. Eu entendo.

2 comentários:

Fernando disse...

Já cometi o desatino de morar em cidade fantasma e sei bem como é isso. A periferia de cidade grande também, o desespero começava na sexta e terminava na segunda de madrugada, na hora de sair para a firma.

Roberta Carvalho disse...

Exatamente Fernando, a cidade onde meu amigo se enfiou (tb a trabalho) era quase uma não-cidade. Mas ele já recuperou a sanidade mental e voltou pro Rio de Janeiro.