quinta-feira, 1 de novembro de 2012

O meu tumbão

Semana passada faleceu o pai de O Orientador. Compareci ao sepultamento. Sempre que vou a cemitérios lembro da música "Fim de mês", do Raul Seixas, pois minha família não tem jazigo.

Tô terminando a prestação do meu buraco, do
Meu lugar no cemitério pra não me preocupar
De não mais ter onde morrer.
Ainda bem que no mês que vem,
Posso morrer, já tenho o meu tumbão, o meu tumbão!


Na verdade, pedi pra ser cremada, mas diz que é caro e minha irmã é contra cremações. Tenho que lembrar de fazer o documento que quero ser cremada e ver se posso deixar pago. É uma espécie de tumbão na Nuvem, né?

14 comentários:

Andréa disse...

kkkkkkkkkkkkkk aiai consegue fazer prosa até de eterros... demais Roberta!

Fernando disse...

Sei e uma coisa, não quero uma tumba e penso em doar meu corpo para a ciência. Ninguém gasta nada com enterro.

Marta disse...

Kkk, minha família tb não tem jazigo. Meu pai, sábio e precavido, sempre se preocupou em ter casa própria e renda extra, mas dizia que jazigo era bobagem, só servia prá ter que emprestar prá defunto alheio. Ficou super doente e o enterro era assunto corriqueiro na mesa. Ele sempre acabava a conversa com a seguinte frase: "vc conhece alguém que deixou de ser enterrado por falta de jazigo?". Cabô que ele morreu sem jazigo mesmo e tudo se ajeitou sem eu ter que pedir favor prá ninguém, porque alguns cemitérios de São Paulo tem uns tais "columbários" que são uma espécie de catacumba romana e ele tá lá, e sei que tá rindo da minha preocupação, kkk. Beijo,

Carla disse...

Também quero ser cremada, ninguém merece ficar prá comida de minhoca!

Aline Pozzan disse...

Tô cagando pra o que vai acontecer depois que eu morrer. Afinal, vou estar morta. Quem ficar, que se preocupe. Pode jogar na vala, doar pra ciência, cremar, enterrar em cova rasa. Tô nem aí. O pai da Marta que escreveu aí em cima era sábio. Bjs

Laurie Teixeira Barbosa disse...

Eu tava no Manual do Cafa e baixei no Homem é tudo palhaço e depois aqui! Gente esse blog é uma graça! Parece os meus pensamentos doidos durante o dia... e o mais engraçado é que vc coloco todos estes pensamento no blog!!!! Queria essa disposição (ou não... : miojo amor eterno? rs) para escrever! hahaha. Tô lendo tuuudo ou melhor devorando! beijos

Helga disse...

Quero que meus órgãos sejam doados. Fora isso uma lápide ou vala comum, tanto faz.

Nara Franco disse...

Acho que vc tem que deixar um documento dizendo que autoriza a cremação. Aí eu te boto no forno, filha. Se tu for primeiro, tá? ;)

Marta disse...

Nara, acho que nem precisa autorização. Quando meu pai morreu perguntaram se ia cremar porque daí precisa da assinatura de dois médicos na declaração de óbito, parece que é só isso. Mas sabe, se a pessoa morre bem numa troca de plantão, ou num hospital tão meia boca que quando muito tem UM médico, já viu, né? Vamucombiná que a gente tem que fazer o que pode pela pessoa quando ela tá viva; depois que morre, quanto menos trabalho, melhor, kkk.

Roberta Carvalho disse...

Andréa, é da minha natureza, mas não é errado se assim.

Fernando, antes eu mandava minha irmã (já que é mais nova) cortar meus pedaços, embalar em sacolas da Casa Sendas e botar pro lixeiro levar. Mas a Sendas acabou, daí quero ser cremada.

Sim Marta, claro que vão dar um jeito, mas não quero dar trabalho nem despesa depois de morta. Meu pai foi enterrado engavetado e até hj não reclamou. Mas se eu posso facilitar, né?

Carla, tem que deixar registrado em cartório que vc quer ser cremada e combinar com alguém da tua confiança de levar o documento.

Aline, acho enterrar não-sustentável. Não tem espaço pra tanta gente, tem que cremar. E não deixar dilema nem despesa pros que ficarem. Minha irmã é péssima pra tomar decisões.

Laurie, a ideia é essa mesmo, publicar meus pensamentos e reflexões. Seja bem-vinda. Adoro leitor novo!

Helga, se realmente quer isso, avisa a família. Se eles não quiserem, sua vontade não vai ser respeitada.

Narita, valeu garotona!

Marta, tem que deixar registrado sim. A Juliana teve mó problema pra tentar cremar uma tia (cumprindo a vontade da falecida) e não conseguiu. A pobre virou comida de minhoca pq não tinha deixado registrado.

Marta disse...

Roberta, ai que saco isso de ter que deixar registrado... muito trabalho! Mas tô nem aí, não vou deixar herdeiros nem sucessores, muito provavelmente vou parar em alguma faculdade de medicina quando eu morrer, hahaha. Beijo,

Roberta Carvalho disse...

Isso aí Marta, desapega!

Anônimo disse...

Oxe. Já cremamos 3 parentas e não precisou autorização delas não. É o atestado por 2 médicos e 2 responsáveis pelo defunto assinam lá no crematório o contrato de cremação.

Fernanda P disse...

Quem decide a cremação são os parentes. Por exemplo, caso a pessoa tenha 3 filhos, os 3 precisam concordar caso um infelizinho discorde fo...